SOBRE O BLOGUEIRO

Sou um Beatlemaniaco. Tudo começa assim... Fiquei reprovado duas vezes no Mobral, mas nunca desisti. Hoje, sou doutor em Parapsicologia formado na mesma turma do Padre Quevedo; sou antropólogo e sociólogo formado, com honra, em cursos por correspondência pelo Instituto Universal Brasileiro. Em minha vasta carreira acadêmica também frequentei até o nono ano de Medicina Cibernética, Letras Explosivas, Química da Pesada, Direito Irregularmente torto e assisti a quase todas as aulas do Telecurso 2000 repetidas vezes até desistir de vez. Minha maior descoberta foi uma fábrica secreta de cogumelos venenosos comestíveis no meio da Amazônia Boreal. Já tive duas bandas de Rock que nunca tocaram uma música se quer. Comi duas vezes, quando criança, caspas gigantes da China pensando que era merda amarela. Depois de tudo isso, tornei-me blogueiro. Se eu posso, você pode também. Sou um homem de muita opinião e isso desagrada muita gente. Os temas postados aqui objetivam enfurecer um bom número de cidadãos.

- [Portal da Língua Inglesa] -

Facebook Badge

terça-feira, 30 de agosto de 2011

POR UMA GERAÇÃO RENOVADORA NA POLÍTICA: A JUVENTUDE DESSE PAÍS É A MOLA MESTRA PARA UMA POSSÍVEL MUDANÇA.


POR UMA GERAÇÃO RENOVADORA NA POLÍTICA: A JUVENTUDE DESSE PAÍS É A MOLA MESTRA PARA UMA POSSÍVEL MUDANÇA.

Ao final desse texto, se você se sentir um jovem capaz de mudar o mundo, espalhe essa mensagem simples e clara. Nosso objetivo é despertar um gigante cheio de sonhos e potenciais dentro de cada um de vocês. Jovens de todo o mundo, uni-vos.

Parece uma dobra temporal, você abre o jornal para ler e se depara com noticias sobre roubalheiras e políticos fazendo uso de forma errada do dinheiro do povo. A verdadeira baixaria vem de cima. Os nossos representantes são os mesmos velhos errantes e espertalhões de anos atrás. Mas agora chegou a hora de mudar.

Vamos convocar a juventude para participar de forma mais efetiva e decisiva na nossa política. Uma nova geração se faz necessária para manter um direito que nos foi tão árduo de alcançar: o voto. A participação do jovem na política é de extrema importância e não só para escolher, mas para servir de opção para uma população carente e abandonada de novos ideais.

A juventude nunca esteve tão preparada para mudar o mundo. Hoje você encontra jovens extraordinários em todos os setores e áreas do conhecimento. Existe uma necessidade de renovação na política nacional. Justificamos dizendo que o jovem, mesmo carecendo às vezes de maturidade, transborda energia e novas ideias para mudar as condições de seu próximo. 

Foram os jovens quem mudaram a história desse país na época do regime militar e quando foi preciso destituir um presidente e por melhores condições de vida e ensino em diversas partes do globo.

Os protagonistas de um mundo vitorioso e mais justo, nós sabemos que são: os jovens. Mas para isso precisamos transformar nossos potenciais em práticas.

Jovens de todo o país, uni-vos. Lutem por dias melhores e chega de opressão e escravidão, seja ela física ou intelectual. Vamos mostrar que temos força para construir um futuro melhor e que os jovens das próximas gerações tenham orgulho daqueles que os antecederam





UERN: Greve completa 90 dias





A greve dos professores da UERN completa hoje 90 dias e amanhã (30) a ADUERN irá realizar Assembleia Geral Extraordinária para avaliar o movimento paredista. Caso o Governo do Estado envie resposta à última proposta apresentada pelo Sindicato, ela será submetida à apreciação da assembleia.
A proposta apresentada pela ADUERN solicita o reajuste de 14% para abril de 2012, o descontingenciamento do orçamento da UERN e o atendimento a pauta dos estudantes. Até semana passada, o Governo do Estado insistia no pagamento de somente 10,65%, o que não contempla a inflação acumulada do período.

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A POSIÇÃO OFICIAL DO GOVERNO EM RELAÇÃO A GREVE DA UERN
Secretário vê motivação política para a manutenção de greve na UERN

A manchete acima corresponde à matéria publicada sábado 27 de agosto de 2011 no Jornal de Fato (ver texto completo no link: http://www.defato.com/politica.php). Através dela, o porta voz oficial do governo do Estado, Secretário de Administração José Anselmo de Carvalho, provavelmente orientado pela Governadora Rosalba Ciarlini, acusa a greve da UERN de está sendo conduzida por interesses político-partidários. Vejam na íntegra o que afirma o secretário: "O que surpreende é a questão da rejeição das propostas que o governo faz e, por isso, não descarto que (a greve) tenha influências partidárias (...) As suspeitas de ingerência partidária se devem ao fato da maioria dos militantes sindicais estarem ligados a partidos políticos que tendem a apresentar candidatos nas próximas eleições municipais. Como a UERN é sediada em Mossoró, o objetivo seria beneficiar nomes ligados ao PT e ao PSB”.

Antes que tudo, inicialmente fazemos os seguintes esclarecimentos:

1.  O Comando de Greve dos Professores é suprapartidário, ou seja, nele encontram-se professores filiados ao PT, PCdoB e PMDB. Não identificamos nenhum membro filiado ao PSB, pelos menos ninguém se manifestou enquanto tal; também não sondamos essa possibilidade e muito menos investigamos a vida política partidária de nenhum membro. É necessário reter que a maioria de seus membros não tem nenhuma filiação partidária. Alguns até já manifestaram ter votado em Rosalba Ciarlini para o governo do Estado;

2.  A Assembleia Geral dos Professores é a instância que delibera o início e o fim da greve. Cada membro do Comando tem apenas um voto na Assembleia Geral.

3.  Sobre nossas reivindicações, esclarecemos que, o que estamos reivindicando do ponto de vista salarial (23,98%) é um direito que a categoria conquistou através de seu Plano de Cargos e Salário de 1989. Imbuído de nossa responsabilidade institucional, nossa pauta de reivindicações também inclui: descontingenciamento do orçamento da UERN; suplementação de verbas, autonomia financeira, entre outros;

4.  Em relação ao movimento paredista, o Governo só se manifestou oficialmente com aproximadamente 20 dias de greve, mesmo assim de forma vazia, tendo em vista que propôs que a greve fosse suspensa uma vez que só em setembro de 2011 o governo teria possibilidade de atender as reivindicações;

5.  Em seguida, com aproximadamente 50 dias de greve o governo propôs a possibilidade de aumento para 2011 de 3% “se o limite prudencial do Estado não for um elemento impeditivo”;

6.  Finalmente, com 70 dias de greve o governo do Estado propôs oficialmente o escalonamento dos 23,98% reivindicado até 2014;

7.  A ADUERN comandou diversas greves nos três últimos governos estaduais: Garibaldi Filho, Wilma de Faria e Rosalba Ciarlini. Vale ressaltar que desses três governos foi a Governadora Vilma de Faria quem mais atendeu as reivindicações salariais dos professores, chegando em 07 anos de governo a aproximadamente 110% de aumento para a categoria. Vale acrescentar também, que mesmo assim foi no governo Wilma de Faria que mais aconteceram greves na UERN. Isto é uma prova inconteste que a greve não é partidária, mas move-se por interesses estritamente institucionais;

Dizer que a categoria sistematicamente recusou as propostas do governo não condiz com a verdade, afinal, pelo exposto só com 70 dias de greve foi que o executivo estadual fez uma proposta concreta e discutível. Diante desta, abrindo mão da pauta original, a categoria de professores aceitou os prazos e os índices propostos pelo executivo estadual na certeza e com a convicção de que estava contribuindo para resolver o impasse. Nossa resposta ao governo incorporava sua proposição e acrescentava aos índices sugeridos os percentuais correspondentes à variação da inflação acumulada no período como forma de não impor perdas salariais à categoria ao longo dos próximos anos. Ressalte-se que no início do processo de negociação, membros do governo já haviam sinalizado positivamente com a possibilidade de atender o percentual apresentado, corrigindo os índices sugeridos, assim como acrescentado dos resíduos inflacionários que porventura existissem. Neste aspecto, foi o governo quem recuou de sua proposta.

Ainda sobre a ampla pauta de reivindicações da greve, em diversas ocasiões o Governo Estadual se comprometeu em descontingenciar os recursos financeiros da UERN. Entretanto, até este momento a liberação dos recursos não foi efetivada. Quem se nega a negociar?

Na verdade, o Secretário Anselmo Carvalho na medida em que acusa o movimento paredista de partidarismo tenta rebaixar e desqualificar o debate. Porque ao invés de se deter e opinar sobre a pauta de reivindicações da categoria, que é a motivação maior da greve, faz ilações especulativas em torno de intenções que só existem em sua mente, porque os fatos reais não correspondem às suas supostas afirmações.

Também é preciso reter, que em diversas ocasiões a governadora Rosalba Ciarlini acusou o movimento paredista de ser partidário, uma vez “que no governo de Wilma de Faria a categoria aceitou um escalonamento de três anos, mas no governo dela esta mesma categoria não se dispõe a aceitar o mesmo escalonamento”. Aqui cabe um esclarecimento crucial: em primeiro lugar no governo Wilma de Faria nós aceitamos um escalonamento de três anos para o correspondente a 64% e não para 27% em três anos como propõe a governadora Rosalba Ciarlini. Em segundo lugar, em 2007, ano do acordo com a Governadora Wilma de Faria, a inflação não chegava a 2% ao ano. Em 2011 a inflação pode chegar a um patamar de 6,5%, com projeções para 2012, 2013 e 2014 de 21% de inflação acumulada.

As insinuações provocativas do secretário têm como objetivo central escamotear as reais intenções do governo para com a UERN. Aqui cabe uma pergunta fundamental: Por que o governo contingenciou os recursos financeiros da instituição? Esta medida tem motivação política ou é de outra natureza? Por fim, diante de fatos tão incontestáveis, a conclusão isenta, ilibada e imparcial sobre o histórico deste movimento paredista, é que quem “esticou a corda da greve” foi o Governo Estadual.

Prof. Flaubert Fernandes Torquato Lopes
Presidente da ADUERN

Prof. Carlos Alberto Nascimento de Andrade
Membro do Comando de Greve dos Professores da UERN


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Sua Imagem pessoal



Dentro ou fora do ambiente de trabalho, você faz parte da empresa e como tal, deve se comportar seguindo certas regras baseadas no bom senso. Muitas pessoas são contratadas para determinado tipo de função e se esquecem de que, mesmo quando não estão em horário de trabalho, ainda fazem parte da mesma.

Quando falamos em vestir a camisa da companhia onde trabalhamos, nos referimos à literalmente fazer da empresa “parte de sua vida”. Muitas pessoas não são profissionais a esse ponto e acabam por cometer pequenos deslizes que podem ser fatais.

Há poucos dias, ouvi comentários de um profissional da área (prefiro não dizer o setor) que havia cometido pequenos descuidos: algumas atividades que não são esperadas de um profissional com tal cargo. O que aconteceu nem vem ao caso relatar, mas a falta de profissionalismo o deixou praticamente fora do mercado de trabalho local. A menos que todos esqueçam logo o que aconteceu, essa pessoa terá que recomeçar sua carreira em outra cidade ou refazer um longo caminho até conseguir se relocar no mercado.

Enquanto profissionais temos que lembrar que tudo que você diz ou faz será refletido ou será usado contra você no futuro. Portanto, cautela nos parece ser sempre uma boa saída para evitar futuras situações embaraçosas.
Na internet, por exemplo, não é local expor sua insatisfação com a empresa. Se você não estiver feliz com o local onde trabalha, procure não demonstrar essa insatisfação constantemente. Muitos colegas de profissão nem sempre são o que parecem e podem ser os verdadeiros mensageiros do mal. Se estiver procurando outro emprego, apenas comunique a seu superior quando tiver certeza de que aquilo que procurava já foi totalmente arranjado.

Outro grande motivo para não se expor demais na rede é porque tudo que você diz ou faz vira noticia rapidamente. Muitas vezes nos arrependemos do que escrevemos e mesmo quando apagamos algo, alguém já pode ter feito uma cópia e mandado para outras pessoas que podem fazer uso daquele material para te prejudicar.
Redes sociais são ótimas ferramentas para fazer amizades instantâneas e criar um networking, mas cuidado ao expressar seus pensamentos via Twitter, pois como o espaço é curto e a linguagem da internet pode ser rebuscada, problemas poderão ser gerados com suas mensagens.

Eu diria que em tempos de “modernidade liquida” nós devemos prestar bastante cuidado a cada postagem e em todas as atitudes que tomamos fora do trabalho. Muitas vezes, uma pequena brincadeira pode ganhar proporções diferentes do que esperávamos e nos colocar em um verdadeiro labirinto. Eu colocaria algumas dicas para separar o joio do trigo na internet.


1-    Procure escrever apenas o necessário. Escrever muito pode gerar confronto de ideias. Não que discursões não sejam bem vindas. É sempre muito bom fazer alguns comentários com amigos sobre determinados assuntos até para exercitar sua arte de argumentar, mas saiba até onde vale a pena ir.
2-    Cuidado com o uso da língua portuguesa. Muitas pessoas acham isso estranho, mas o cuidado com a escrita mostra que você leva a sério sua formação. Muitas vezes a pressa para postar algo nos faz cometer alguns deslizes. Não que não seja normal errar de vez enquanto, mas sempre é algo constrangedor. Ninguém gosta de ler um texto onde o escritor é sempre muito desleixado em relação ao idioma.
3-    Se não tem nada interessante para escrever, então não escreva. Ficar forçando a barra para escrever por escrever pode sugerir uma péssima imagem.
4-    Nada de misturar lazer com trabalho. Hora de trabalho é hora séria e hora de se divertir é outra coisa.
5-    Se for usar a internet, crie uma página onde você poderá discutir assuntos interessantes e compartilhar algumas experiências relacionadas à sua profissão ou área de estudo.

Fazer bom uso da sua imagem pessoal não é apenas aparecer em propagandas da empresa, mas sim justificar, por meio de atitudes, que sua postura condiz com o profissional que todos esperam que exista dentro de você.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Educação: professor sem salario digno e de barriga vazia.



Não é de hoje que isso vem acontecendo, mas o Rio Grande do Norte se mostra cada vez mais indisposto a melhorar a educação. Nem preciso apontar os números referentes a esse setor para que possamos verificar que nosso estado, assim como o resto do país, não caminha rumo à modernidade ou às melhorias no direito básico de todo e qualquer cidadão.

Ser brasileiro está cada vez mais difícil, pois nem receber o mínimo que o governo deveria prover nós estamos mais. Educação está sempre em evidencia nesse país primata, mas não com boas noticias.

Hoje cedo, ao levantar, liguei a TV e vi que agora o governo quer punir o professor “por comer a merenda do aluno”. Façam-me um favor. Esse discurso agora só vem mostrar o que todos nós já sabemos: o governo não está nem ai para a educação e que o DEM é um partido de atuação pífia. Sem diálogo.

Parecemos viver uma verdadeira ditadura. Está tudo caminhando para um caos total. Não conseguimos ver a luz no fim do túnel. Já não bastavam os descasos para com os professores e alunos, os salários ridículos, as dificuldades de aposentadoria e licenças que todos têm o direito, agora essa de falar que o professor está comendo a merenda do aluno? Estão tentando transformar o professor em vilão. Estamos vivenciando uma verdadeira inversão de valores, pois os professores nesse país são os únicos e verdadeiros heróis que ainda podemos apontar.

Para que serve a escola nesse país? Estão usando a educação para outros fins. A escola virou palanque. Todo ano você é obrigado a conviver com discursos divorciados da prática e baixar a cabeça para governantes que não conseguem nem sentir ressaca moral.

E você povo potiguar, o que vai fazer? Chegaram a hora e a vez de você se mover e fazer a diferença. Levante a bandeira da mudança; da educação e de dias melhores para todos os cidadãos que trabalham duro para manter essa maquina funcionando. Diga não para esses pseudo-líderes e libertem-se dessas amarras que apenas sufocam seus pulsos. Não para a ditadura no Estado Do Rio Grande do Norte. 





Vejam o que a atual governadora falou da educação em seu estado, o Rio Grande do Norte.



O nome do vídeo é “Rosalba manifesta preocupação com Educação no RN”. Será que está mostrando mesmo preocupação? 

domingo, 21 de agosto de 2011

Poesia: Tudo é o olhar.



Existem duas formas de ler esse poema. Primeiro, leia de cima para baixo e depois de baixo para cima. Notou a diferença? Se gostou, divulgue. O veja o mesmo, mas em língua inglesa clicando no link abaixo:



Tudo é o olhar

Não te amo mais
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis
Tenho certeza que
Nada foi em vão
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada
Não poderia dizer mais que
Alimento um grande amor
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...

Digulgação do blog: PORTAL DA LÍNGUA INGLESA.



Estou divulgando meu blog para todos aqueles que desejam estudar e aprender inglês pela internet, no conforto da própria casa. É rápido, simples e você pode estudar na hora que quiser e quantas vezes desejar.
Não estou pedindo nada em troca, apenas a divulgação do mesmo. 
www.portaldalinguainglesa.blogspot.com

Humor brasileiro: antes e agora.

 

Essa semana estive conversando com um amigo sobre a comedia brasileira. Tudo começou quando estávamos em uma pizzaria e mostrei um pequeno panfleto sobre uma programação de várias apresentações na AABB daquela cidade. Nem comentei nada, apenas mostrei o panfleto.
Depois de ver quem seriam os humoristas ele fez o seguinte comentário “não gosto desses humoristas de hoje. O último humorista que prestou foi Chico Anísio”.

Longe de tentar argumentar contra, sei da importância desse humorista para o país, mas acredito que o humor, assim como outras coisas, mudam ou se adaptam ao contexto de cada período ou época. Lembro que gostava dos trapalhões e hoje em dia vejo o Didi com outros olhos. Não sei se fui eu que cresci ou se o Didi já está velho para fazer o mesmo tipo de humor.

Só para provar que existem ótimos humoristas hoje, fiz essa pequena postagem.

Marcelo Adnet (grande humorista da MTV)

Os caras de pau (programa da Rede bobo)

E ainda tem o clássico Chaves

Mussum e os conselhos médicos (Os trapalhões). Muito engraçado esse vídeo.  


Mussum e a Grávida (Os trapalhões)


Saindo em defesa da mulher

Mulher alho.


Já que hoje só dão vez as mulheres frutas. Chegaram a hora e a vez da revolução. Sei que vai parecer piada de péssimo gosto, mas por meio dessa postagem venho valorizar a mulher. Mulher também tem outros atributos que não são valorizados no nosso país, como a inteligência.

Fora do Brasil, nossas mulheres são conhecidas como putas. Não é de se achar estranho, pois quando se está vendo TV em outro país você percebe que só mostram mulheres seminuas ou completamente nuas.

Nessa onda de reality shows, podemos constatar que no final da participação de alguma dessas mulheronas, o prêmio é secundário porque normalmente, muitas delas saem do programa direto para as capas das principais revistas masculinas. Embora, muitas vezes, só vão parar mesmo em paredes de algumas oficinas.

Existem até aquelas feiosinhas que conseguem mais do que seus quinze minutos de fama: caso de Geize Arruda e Bruna Surfistinha.
Termino essa curta postagem pedindo para que valorizem mais a nossa mulher brasileira. Lembre-se que elas são as nossas governantas, donas de casa, mães e verdadeiras guerreiras em um mundo opressor e patriarcal. 

sábado, 20 de agosto de 2011

Da importância do individualismo e do egoísmo.


Que a vida é feita de escolhas, todos nós sabemos. São diversos caminhos e temos o livre-arbítrio de escolher qual ou quais deles seguir. Alguns pensamentos podem até parecerem absurdos, mas merecem nossa atenção.

Alguns sentimentos e atitudes acompanham o homem desde sempre. As necessidades fazem com que os povos passem por adequações e/ou adaptações. Na sociedade européia dos séculos XV e XVI as pessoas eram banqueiros, comerciantes, artesãos, contadores. Já não dependiam de nenhuma forma dos senhores feudais. Mas viviam em concorrência direta uns contra os outros. Naquele novo tipo de sociedade, onde o dinheiro se tornava cada vez mais importante e quem não aprendesse a cuidar de si mesmo não teria vida longa.

Esse modo de vida não poderia gerar outra coisa que não a competição e estimular o individualismo. Mas quando utilizamos tal palavra, devemos lembrar que dois significados são possíveis: o individualismo egoísta e pode ser também o individualismo que dá importância à liberdade de cada ser humano sem que isso prejudique os outros.

Não dá para mostrar aqui uma verdade absoluta, pois o mundo coexiste com uma porção de opiniões diferentes e, portanto não podemos apontar o dono de um pensamento correto e fechado. O que me chama a atenção são as idéias de dois nomes que ficarão escritos na história. O primeiro seria o filosofo escocês Adam Smith (a riqueza das nações). Seu raciocínio era simples: quando alguém procura o melhor para si, a sociedade toda é beneficiada. Vejamos um exemplo: se uma cozinheira prepara uma refeição maravilhosa existem dois motivos para isso. Ela poderia estar tentando agradar a seu patrão ou pensando no seu salário no final do mês. Se ela escolher a segunda opção, seu individualismo será benéfico para ela mesma e para seu patrão. Concluímos que os capitalistas só pensam em seus lucros, mas para isso precisam vender produtos bons e baratos, o que, no fim é ótimo para os seus consumidores.

O segundo pensador se escondia num cenário entre a luz e a sombra da política. Estou falando de Nicolau Maquiavel. Sua linguagem é mais cruel do que a do anterior e por isso lhe rendeu certo rótulo que muitas vezes podem deixar sua visão marginalizada ou distorcida em uma primeira leitura de sua obra.

O principal trabalho de Maquiavel foi o príncipe. Em sua obra, podemos notar que ele não estava interessado em arquitetar governos justos, mas imaginários. Preferia ver as coisas como elas são. Por isso sua conclusão é cruel: “o objetivo supremo do governo é perpetua-se no poder, não importando os meios para atingir esse fim”. Partindo desse pensamento, considerações sobre justiça e moral não têm vez, então é importante para o príncipe aprender a ser mau. A bondade não tem vez em um ambiente calcado na maldade. É como se ele estivesse dizendo que não poderia fazer nada, já que as coisas são assim. O egoísmo e individualismo, dependendo do ponto de vista, são úteis para a sociedade.

Nunca descanse antes de ter certeza de que já conquistou o que queria.

Liberte-se dessas pessoas que só te puxam para baixo.

Não é impressão, toda vez que você se destaca em sua profissão ou no meio de um determinado grupo, você precisa encarar as consequências dessas mudanças. Não é fácil viver sob essa ótica, mas muitas vezes, essas situações parecem te testar. Às vezes, você vai sendo direcionado a viver nesse mundo tendo a obrigação de saber que ninguém vai te notar até que um dia sua pessoa faça algo diferente.

Na vitória, pode esperar que muitos estarão ao seu lado; na derrota, nem sempre alguém vai estender a mão. A verdade é que no mundo moderno o que vale mesmo é se dá bem. Desde que as pessoas estejam desfrutando de momentos bons, elas não irão se preocupar com simples detalhes.

Hoje quero passar uma mensagem importante: nunca se sinta acomodado e lute para sempre ser uma pessoa melhor a cada dia. Na sua profissão, seja o melhor que você puder, mas sem passar por cima de ninguém. Mantenha seus princípios, mesmo que as outras pessoas assim não o façam.

Falar nem sempre é fazer. Trabalhe calado e colha seus resultados aos poucos, sem permitir que falsas ou pequenas vitórias te iludam. Muitos pensam que ao chegar a um determinado posto, já podem se sentar e descansar. Não descanse nunca. Depois de cada conquista, crie outros objetivos na vida, tenha sempre um plano B e quando não tiver, encare o desafio como sendo apenas mais uma chance para o aprendizado.

Lembre-se de que se você parar de caminhar, estrará mostrando que já desistiu de seus sonhos, de seus desejos. Quando isso acontece, significa que você está desmotivado. Essa situação é muito complicada, lute, liberte-se dessas mãos que te puxam para baixo.



Rock de verdade não é essa porcaria colorida de hoje!


Após ler esse texto, você terá contato com uma mente perturbada, mas que raciocina de uma forma coerente. Não irei aqui atacar artistas em particular, mas à essa nova geração que vai crescer ouvindo Luan Santana e essa garotada de roupa colorida que está completamente ferrada. Entenda a razão.

Durante muito tempo eu fiquei me perguntando qual era a utilidade da música. Indagação louca, pois si perguntar sobre a serventia de algo que está presente na vida das pessoas quase que 24 horas por dia. Mas essa inquietação me veio à cabeça quando começaram a surgir essas bandas de forró com essas letras de duplo sentido, melodia pegajosa e pobreza de espirito de seus compositores. 

Durante certo tempo, pensei que os outros estilos estavam livres dessa forma de fazer música. Sempre fui inquieto, mas sempre manifestei respeito pelo gosto musical dos outros. Nesse momento estou apenas mostrando um ponto de vista  que deve ser respeitado, afinal esse texto não foi criado para fazer história.


Hoje você liga a televisão e é sonoramente metralhado por diversas bandas ridículas que aparecam no cenário nacional há pouco tempo, ou fui eu que só percebido há pouco tempo? Seja lá como for, essas bandas não carregam nenhuma característica do que eu considero música de qualidade.

"Poneis coloridos: veadagem geral." 
É triste lembrar que no Brasil, por exemplo, já tivemos nomes importantes na música como Tim Maia, Jerry Adriane, Roberto Carlos e muitos outros artistas.  

Mas não é de nenhum desses músicos que quero falar. Gostaria de demonstrar algumas peculiaridades que existem no nosso país. Essa nova onda de "happy rock" está simplesmente mostrando o quanto nosso país precisa melhorar em relação às letras e à qualidade das canções, só para citar duas necessidades óbvias.

Hoje os jovens estão crescendo ouvindo essas coisas cafonas chamadas Restart (que peca na pronuncia) e Fiuk, uma verdadeira aberração da natureza. Esses primeiros são a personificação de música de péssima qualidade e o segundo uma forçada de barra por parte de alguns empresários, só por ser filho de Fábio Jr, esse sim, um bom cantor.

Quando lembro que tive o privilegio de crescer ouvindo Beatles, Bob Dylan, Pink Floyd, Nirvana, Guns n Roses, Jemmy Hendrix, Janis Joplin, Sex Pistols e Iron Maiden, só para citar os estrangeiros, fico feliz por minha geração e a geração anterior a minha terem sido abençoadas musicalmente.

Agora colocar essas desgraças como Fresno, NX zero, Restart e Fiuk como músicos de referencias para uma geração é, irresponsavelmente, desconsiderar nomes como Renato Russo, Cazuza, Nando Reis, Titãs e Raul Seixas, só para citar alguns grandes nomes do nosso bom e velho Rock n Roll.

Sei que questão de gosto não se discute, mas esses carinhas dessa geração são uma tristeza; verdadeiras aberrações. Crescer ouvindo isso me parece crescer correndo o risco de sofrer um estrupo sonoro; um aneurisma cerebral, tamanha a fraqueza na mensagem dessas suas músicas.

Segue agora uma lista de boas bandas em seus melhores momentos para que vocês possam curtir um som de qualidade. Todos foram retidados do site YouTube. É só clicar no nome das bandas para assistir ao vídeos.

Internacionais:


Nacionais:


Vida longa ao bom e velho Rock n Roll
Pô. Tô com preguiça de procurar o erros no texto, alguém acha ai e corrigi. Valeu!



CRÔNICA DO SÁBADO: A HORA DE GOZAR.


CLIQUEM NA IMAGEM PARA TER UMA VISÃO MELHOR.

Quem não gostaria de ter tempo livre para fazer tudo aquilo que lhe dá prazer e ficar ao lado da(s) pessoa(s) que lhe faz(em) bem? Acredito que dez em cada dez pessoas concordem comigo quando digo que todo mundo só quer o que é bom para si mesmo.

Passamos a vida toda fazendo diversas coisas ao mesmo tempo, e curiosamente, quase que na maior parte do tempo, fazemos mais aquilo que não nos dá prazer do que as coisas que gostaríamos de estar fazendo. Ai você pensa “como eu gostaria de estar em tal lugar fazendo tal coisa, talvez, com tal pessoa”. Insatisfação total.

Pois é, depois de algum tempo de trabalho e esforço, chega a hora de gozar, quero dizer; chega a hora do prazer; de colher tudo aquilo que se plantou durante uma vida inteira. Para William Blake: "há tempo de semear, aprender; tempo de colher, ensinar; tempo do inverno, gozar...".

Depois de anos de stress, brigas no trabalho, em casa, com amigos, colegas e até desafetos, você recebe a noticia que sua aposentadoria chegou. “oba, será o fim do meu sofrimento, das minhas angustias”, você pensa.

O curioso é que podemos tirar lições das próprias historias dos antigos. Os gregos, por exemplo, preenchiam seus tempos inventando histórias: conhecidas como mitos. Esse povo deixou um legado incrível para os povos do ocidente, se assim não fosse, muito provavelmente, vocês não estudariam as obras de Platão, Aristóteles e Sócrates, só para citar alguns.

Quando o seu tempo livre finalmente chega, você se depara com uma situação difícil de explicar. E agora o que fazer com meu tempo livre?
É exatamente nesse ponto que questiono: você já pensou que tempo livre pode ser uma prisão? Pense bem, agora você reclama porque não tem tempo para isso ou aquilo, mas quando está em sua casa sem ter o que fazer, reclama porque tudo parece chato e desmotivador.


A vida é assim tão cruel e contraditória que nós não estamos preparados para termos nossos desejos respondidos. Ontem, eu tive uma visão: sempre me perguntei o porquê de Deus não ter destruído o Diabo logo no paraíso. Acho que descobri a resposta. Deus precisa de algo para ocupar seu tempo, de um objetivo. Se pegarmos a profissão de professor, por exemplo, constataremos que por mais que os educadores queiram que seus pupilos estudassem e leiam mais, ser professor seria algo inútil, sem necessidade caso eles, os alunos, não demonstrassem a necessidade de aprender. Então chego à conclusão que, devemos viver a vida um dia de cada vez e gozarmos agora e não amanhã, pois ninguém tem certeza das oportunidades obscuras que podem surgir. Cultive coisas boas e deixe que o universo conspire ao seu favor. Acredite que a hora de plantar e colher não estão necessariamente nessa ordem cronológica. Pare de reclamar da vida e viva o dom que Deus, ou seja, lá em que você acredite, com alegria, faça do seu mundo um lugar melhor para você e seu próximo.

P.s. esse material faz parte de uma coletânea de textos que seriam descartados; aqueles que escrevemos quando julgamos ter uma ideia boa para um conto, poesia ou crônica, mas logo percebemos que estávamos errados ou não desenvolvemos o mesmo da forma que esperávamos. Famosa escrita de gaveta. Como não considerei esse material interessante para uma publicação mais séria, ele veio parar aqui no blog. Não espero que gostem dele. Se você nem ler, para mim não vai fazer muita diferença, nem é um texto de qualidade mesmo. Se não estivesse aqui, provavelmente ele estaria na lixeira do meu computador pessoal. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Por que o professor ganha tão ruim no Brasil? Parte II.

 

Se você perguntar para qualquer aluno do Ensino Médio ou Fundamental o que ele quer ser quando crescer, muito provavelmente não ouvirá PROFESSOR como resposta. Até mesmo se fizer a mesma pergunta para estudantes universitários de licenciaturas, ouvirá a mesma resposta. Mas a que se deve tamanha falta de interesse por essa profissão. Bem, todos têm suas razões; seus motivos. Claro que respeitamos, mas primeiramente temos que pensar que hoje em dia, nós temos mais acesso às informações mais rapidamente. Certamente, não precisamos de professores o tempo todo.

Hoje não precisamos do professor da mesma forma que precisávamos anos atrás. A maior prova disso é que se quisermos aprender uma língua estrangeira, podemos fazer isso apenas com um pouco de motivação e fazendo uso da internet. Existem inúmeros sites especializados em aprendizagem de línguas. Indo mais adiante, hoje temos até cursos de graduação e pós-graduação a distancia. Deixemos de lado a qualidade desses e passemos ao foco do tópico.

Diante da necessidade do mercado de trabalho, nós podemos constatar que o profissional tem seu valor mediado pela qualificação recebida durante seu período de preparo para exercer sua profissão. Mais ainda, o profissional ganha devido a quantidade. Se tivermos muitos professores no mercado, então é lógico que se pague menos.

Existe solução para isso? Não. Parece uma resposta simples, curta e carregada de um tom negativo, mas é melhor eu ser honesto e realista do que mentiroso e sonhador. Se chegamos até essa situação, é porque não podemos mais reverter esse quadro. O governo federal até tenta “tampar o sol com uma peneira”, mas isso não resolve problema algum. Com a ampliação dos Institutos Federais, tivemos a abertura de portas para profissionais de outras áreas, não apenas licenciaturas. O que vemos são muitos “ex-engenheiros”, literalmente, se arriscando na educação. Motivados pelo que? Dinheiro. Na maioria das vezes, mas nem sempre, eles não têm o conhecimento didático-pedagógico para o ensino de qualidade que o governo quer, se é que quer!

Não estou atacando nenhuma profissão, mas para expor meu ponto de vista, preciso de exemplos fortes. A justificativa para a criação de escolas técnicas é para preparar os alunos para o mercado de trabalho de forma mais rápida. Então, surgiu a necessidade de investir no Ensino Médio. Longe de não ser algo positivo, mas com isso os profissionais de outras áreas como a engenharia precisavam se interessar pela docência. Qual foi a solução encontrada pelo governo? Isso mesmo, atrair tais profissionais fisgando-os pelo bolso. Dinheiro, palavra mágica que pode mudar qualquer um.

Mas por que o professor ganha tão pouco? Porque uma profissão precisa ser marginalizada para que as outras sejam mais respeitadas. É a lógica do capitalismo. Outra razão: existe um número muito grande de “profissionais” nessa área e isso o torna fácil de ser encontrado. Mais além, existe a condição que chamo de “estar professor”, o que isso quer dizer? São pessoas que dão aulas para completar suas rendas, mas não estudaram para tanto. Terminando deixando uma perguntinha no ar: será que esses profissionais que são professores, teriam escolhido essa profissão quando estavam em suas universidades de Direito, Engenharia, Enfermagem, Ciências Econômicas...?


[crônica noturna] Devaneios noturnos.



Se minha vida fosse uma peça de teatro seria uma tragédia. Não estou sendo aqui autodestrutivo; apenas realista. Já perceberam como a vida pode parecer algo extremamente assustadora? Pois é, às vezes tudo vai bem e de uma hora para outra, a coisa desanda.

Claro que isso é mais uma daquelas situações corriqueiras e passageiras que temos todos os dias em nossas vidas, mas se meus olhos se fechassem hoje para sempre, eu ficaria muito desapontado (se assim fosse possível), pois existem tantas coisas que eu apenas sonhei e ainda não tive a chance de realizar. Dizem que existe hora para tudo, mas quando paramos para esperar, parece que essa hora nunca vai chegar!

Ah, tempo, esse eterno brincalhão que teima em passar de forma cruel. É hora de dormir e eu ainda estou com os olhos abertos; pela manhã, todos estarão acordados e eu ainda estarei iniciando minha jornada de olhos fechados.

Hoje senti que não sabia mais para onde estava indo; que tipo de conquistas tivera. A vida é um ciclo que às vezes apenas demora em passar. Ah, tempo... Vê se me erra. Adianta-me ai alguns anos para que eu possa ter certeza que vai dá tudo certo. Espera lá! Se eu adiantar também terei de entregar minha alma mais cedo também. Não, tempo... Pode ficar com aquilo que é seu de direito: o controle, que eu fico com minha vida.



P.s. esse material faz parte de uma coletânea de textos que seriam descartados; aqueles que escrevemos quando julgamos ter uma ideia boa para um conto, poesia ou crônica, mas logo percebemos que estávamos errados ou não desenvolvemos o mesmo da forma que esperávamos. Famosa escrita de gaveta. Como não considerei esse material interessante para uma publicação mais séria, ele veio parar aqui no blog. Não espero que gostem dele. Se você nem ler, para mim não vai fazer muita diferença, nem é um texto de qualidade mesmo. Se não estivesse aqui, provavelmente ele estaria na lixeira do meu computador pessoal.