SOBRE O BLOGUEIRO

Sou um Beatlemaniaco. Tudo começa assim... Fiquei reprovado duas vezes no Mobral, mas nunca desisti. Hoje, sou doutor em Parapsicologia formado na mesma turma do Padre Quevedo; sou antropólogo e sociólogo formado, com honra, em cursos por correspondência pelo Instituto Universal Brasileiro. Em minha vasta carreira acadêmica também frequentei até o nono ano de Medicina Cibernética, Letras Explosivas, Química da Pesada, Direito Irregularmente torto e assisti a quase todas as aulas do Telecurso 2000 repetidas vezes até desistir de vez. Minha maior descoberta foi uma fábrica secreta de cogumelos venenosos comestíveis no meio da Amazônia Boreal. Já tive duas bandas de Rock que nunca tocaram uma música se quer. Comi duas vezes, quando criança, caspas gigantes da China pensando que era merda amarela. Depois de tudo isso, tornei-me blogueiro. Se eu posso, você pode também. Sou um homem de muita opinião e isso desagrada muita gente. Os temas postados aqui objetivam enfurecer um bom número de cidadãos.

- [Portal da Língua Inglesa] -

Facebook Badge

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Profissionais com Grande Vivência Prática podem Encontrar Barreiras pela Falta de Títulos.




Mestres de obras que poderiam ser engenheiros, secretárias que poderiam ser administradoras, auxiliares que poderiam ser contadores.

A lista de funções poderia continuar por muitas linhas. Todos nós conhecemos aquele profissional super inteligente e criativo, mas que não subiu na empresa. Ou então aquele, que perto de se aposentar, aprendeu tudo o que sabe na prática, mas sequer conseguiu sair de uma função operacional, embora conheça todos os processos da empresa de trás pra frente.

Isso porque, ao lado de nossa capacidade de aprendermos sozinhos, batizada de autodidatismo, muito impulsionada pela tecnologia atual, o mercado exige formação e títulos que comprovem que você detêm este ou aquele grupo de informações e técnicas.

Mas não se engane: o autodidata tem seu valor – isso se entendermos este tipo de postura como complementar a tradicional e não como única forma de aquisição de conhecimento e formação.

Por que a formação é importante?

A formação tradicional é muito mais do que um papel no final do curso. Pense bem: você estará recebendo conhecimento já testado e não terá que quebrar a cara uma ou duas (ou várias) vezes. Esse conhecimento será passado através de uma metodologia, o que acelerará seu aprendizado.

Se escolher bem a instituição que ministrará seu curso, vai conhecer pessoas e poderá trocar ideias, melhorando ainda mais a qualidade da informação que receber.

O autodidata pode e deve unir essas características e somá-las ao seu impulso natural por pesquisar e adquirir novos conhecimentos. Quando bem equilibrada é um mix poderoso que as empresas valorizam.

Por que o título é importante?

Terminado o período de formação, o “papel” adquirido, o título, o diploma, tem igual valor, pois trata-se de um documento oficial. Através dele você dirá ao mercado o quanto e de que forma investiu em sua preparação. Quase desnecessário dizer, mas, um diploma não fala por si. Uma boa instituição, uma boa nota final, um curso relevante ajudam a sua carreira deslanchar, não há dúvida. Mas, colado na parede, sem que seja colocado em prática, não ajudará em nada. Portanto, vale aqui também a dica inicial: una os dois mundos. Aquele em que você é um autodidata e o outro, onde você colou grau e tirou sua foto com a turma no dia da formatura.
Como Identificar que você está Próximo do Limite.

A grande questão, portanto, é identificar quando você estará próximo de seu limite como autodidata. Dependendo da área em que você atua, terá mais ou menos exigências de base acadêmica para desempenhar sua função. Mas, em todo caso, uma dica importante é notar situações como estas:

Você perdeu uma promoção por não ter o título exigido.

Não conseguiu fazer inscrição em um concurso público pelo mesmo motivo.

Sentiu falta de uma base metodológica ao abordar uma questão em seu dia a dia no trabalho.

Sente falta de referências técnicas e/ou pessoais em algum projeto
Ouve falar numa reunião em autores, linhas de pensamento ou abordagens que sequer imaginava que existiam.

Conclusão

As empresas buscam profissionais que tenham um “quê” de empreendedor. Que queiram somar experiências nos constantes desafios que vão enfrentar juntos. Nesse cenário, o autodidatismo enquanto mola propulsora de um contínuo aprimoramento é mais do que desejado. Contudo, tal postura não pode ser encarada como substituta de uma formação sólida.

Você precisa saber sempre mais. Desde que sabia o básico primeiro.
Texto fornecido pelo Emprego Certo, o site de empregos do UOL.




http://www.guiadacarreira.com.br/artigos/auto-conhecimento/limite-auto-didata/

Tempos modernos: as câmeras de (in)seguranças.




Pois é, elas servem para o bem e para nos controlar cada vez mais. todos nós pagamos: os bandidos que viram celebridades instantâneas, e o povo, que vive sob vigilância 24 horas por dia.




quarta-feira, 30 de maio de 2012

Quando a coisa aperta... só o trabalhador paga por isso!

¿Cuántas mujeres usan anticonceptivos en la primera relación sexual?

Aqui me parece seguir a lógica de que as mulheres informadas, ou seja, com maior grau de estudo, sabem da importância do uso de algum método contraceptivo. Acredito que a pesquisa serve para mostrar a importância da disciplina EDUCAÇÃO SEXUAL nas escolas. Um texto rápido e bem prático que não leva mais do que cinco minutos para ser lido. Boa leitura, mochileiros.








Más del 70 por ciento de las mujeres españolas utilizan métodos anticonceptivos durante su primera relación sexual, aunque este valor es diferente según las comunidades autónomas y el nivel de estudio de las encuestadas, según revela un estudio publicado en la revista Health and Place.


El estudio se ha realizado con más de 5.000 mujeres sexualmente activas de entre 15 y 49 años y residentes en España. "Teniendo en cuenta los factores individuales de las mujeres que intervienen en el uso de anticoncepción, vivir en una u otra comunidad autónoma también influye en su uso", ha explicado a SINC Dolores Ruiz Muñoz, investigadora de la Agencia de Salud Pública de Barcelona y autora del estudio. Las mujeres del País Vasco son las que más anticonceptivos usan - un 76,7 por ciento- y las murcianas, con un 55,8 por ciento, las que menos. En la Comunidad de Madrid eran un 73,3 por ciento las mujeres que afirmaban haber usado anticonceptivos en la primera relación sexual.


Las investigadoras encontraron que el uso de anticonceptivos también se relaciona con el nivel de pobreza de las familias y con el nivel de estudios de las mujeres. "El uso de anticonceptivos durante la primera relación sexual fue más común entre las mujeres no religiosas nacidas en países enriquecidos que tenían un mayor nivel educativo y que tuvieron su primera experiencia sexual entre los 18 y 19 años", ha indicado Ruiz Muñoz.


Además, el estudio también ha analizado el uso de anticonceptivos en el último mes, y ha encontrado que este fue más frecuente en los casos de mujeres jóvenes, que no cohabitaban con nadie, con hijos o con alto nivel educativo. Las autoras señalan la importancia de hacer llegar la educación sexual a todos los estratos de población, e insisten en que actualmente existen desigualdades entre comunidades en la facilidad de acceso a los métodos anticonceptivos.

Podemos recusar uma proposta da empresa?



Um texto bem elaborado que trata bem essa questão referente ao mundo corporativo. Não é uma questão simples e ler muito sobre o assunto é a ação mais assertiva. O tempo de leitura do mesmo é de maios ou menos cinco minutos. Boa leitura. 





Sempre que penso nessa questão me lembro da fábula dos moicanos canadenses que resumidamente diz:


“…formigas aboletadas em tronco que desce rio abaixo, acreditam, piamente, que estão conduzindo o tronco…”

Na minha opinião essa resposta passa por entendermos a diferença entre conduzirmos efetivamente a carreira ou acharmos que estamos conduzindo.

Quando aceitamos uma proposta da empresa pelo simples fato de imaginarmos que a recusa pode significar um tarja negativa no histórico ou a possibilidade de uma demissão, estamos agindo como as formigas que caminham para o lado que o tronco leva e na velocidade que o rio conduz e ainda assim acham que estão conduzindo o tronco. Aceitar uma proposta nessas condições significa sentar no banco do passageiro e deixar que alguém conduza sua carreira dizendo como e o que você deve fazer. Significa delegar a empresa e ao líder algo que é indelegável: a gestão da sua carreira.

Partindo, então, do princípio de que não se delega a gestão da carreira, a resposta a questão inicial fica clara. Sim, podemos e devemos recusar propostas que nos levem na direção contrária a aquela que acreditamos ser a mais adequada para nossos desejos e ambições profissionais. Entender essa questão não resolve um outro problema inerente a questão. Como dizer “não” sem gerar uma situação desconfortável junto ao seu líder e aos planos da empresa? Só vejo uma saída: agir com transparência e proatividade.

Transparência para esclarecer o real motivo para não aceitar a proposta, mostrando todas as variáveis que fazem com que, tanto do ponto de vista profissional quanto do pessoal, a proposta não atenda aos seus anseios e expectativas e proatividade para apresentar alternativas que possam viabilizar os planos da empresa mesmo com a sua recusa.

Aproveite a oportunidade para reforçar, se for o caso, o seu comprometimento e envolvimento com a empresa e que essa recusa não significa um desconforto com a empresa e sim com a proposta apresentada. Estou certo que um bom líder saberá entender e respeitar sua postura. Caso contrário, talvez valha a pena repensar se você esta na empresa correta e sob uma liderança que o apoiará na construção da sua carreira.

Texto de Fábio Jorge Celeguim
@fabioceleguim

terça-feira, 29 de maio de 2012

Produtividade ou distração?

Esse próximo texto é bem diferente dos demais publicados aqui no blog durante todo esse mês de Maio, mas não menos interessante. Trata-se de uma pesquisa na qual temos a indagação sobre a utilização das REDES SOCIAIS no ambiente de trabalho.

Pesquisa com 1 709 profissionais, de presidentes a estagiários, mostra como as mídias sociais são usadas no ambiente de trabalho e a imagem que o brasileiro faz delas. a maioria já utilizou alguma rede de relacionamento na firma. Metade dos que são contra não é usuária das redes





FONTE: Você/SA [LINK]

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Mais uma sobre a Grécia.





Cada vez mais comum encontrar nos sites europeus piadas referentes à crise econômica na Grécia. "Reminds me very much of the Spanish song". Refere-se à especulação de que a Espanha seria o próximo país a pedir ajuda financeira aos gigantes do Euro. 

“When in Rome, do as the Romans do”.



O motivo de escrever essa postagem é bem simples: para que a mesma sirva de conselho ao mesmo tempo em que critico pessoas que não sabem tirar o melhor proveito em viagens ao exterior.

Sempre vejo pessoas que viajam pelo mundo e, em minha opinião ácida, não sabem aproveitar o momento para aprender e ter contato com as pessoas nativas.  

São desde estudantes que fazem intercambio cultural em outras nações à pessoas que viajam de férias. Se misturar e aprender um pouco da cultura local é o que há de melhor. Nada como se comunicar na língua nativa e comer a comida local para depois poder saber se  a viagem valeu mesmo. Portanto, ao viajar, nada de comer em restaurantes brasileiros e sair por ai falando português. Aproveitem para vivenciar a nova cultura e aprender, pois a bagagem cultural é o que você vai levar para o resto da vida.

Existe um velho ditado em inglês que diz “when in Rome, do as the Romans do” (quando estiver em Roma, faça como os romanos fazem).


SMARTGROUP- Um grupo inteligente.

Recentemente, cansado das mesmices do Facebook, criei um grupo de discussões na rede social, onde muitos colegas virtuais estão discutindo assuntos de diversas naturezas e de forma brilhante e em altíssimo nível.

Gostaria de postar mais discussões, mas como não vou ter tempo, deixo aqui as ultimas postagens com alguns comentários do mesmo. Se você leu e achou que deveria contribuir, esse é o link do grupo. 








Austeridade.

BRAZ-TESOL RN - ELT Event Natal Chapter, Natal RN.


BRAZ-TESOL RN - ELT Event Natal Chapter, Natal RN 26/05/2012 - Assessing free-speaking activities group.  

Complementado o que havia dito na postagem anterior (link). Não acredito que um bom profissional deva fazer tudo pensando (apenas) em dinheiro. Eu mesmo, com alguns amigos, peguei meu carro dirigi por quase dez horas (ida e vinda) ontem à noite (26/05/2012) em uma estrada relativamente perigosa (qual não é?) única e exclusivamente para aperfeiçoar meu conhecimento técnico na área em que atuo. Sou professor e tenho um salario igual ou até inferior a muitos desses “reclamões” grevistas. Longe de querer ser conformista, mas antes de sair por ai somente entrando em greve apenas pensando em dinheiro, alguns professores deveriam atentar para as suas missões. Lembrem-se que vocês fizeram um juramento durante suas formaturas. A vida não é só festa. Se perguntar a qualquer profissional se ele está satisfeito com seu salario, com certeza ele vai dizer que não. 



Rio+20: Qual é o futuro que você quer?


Tempo estimado para a leitura desse texto: 5 minutos.
Autor do texto: Rafaela Mussi.
Fonte: Planeta Água.




O Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil lançou recentemente uma ferramenta para mobilizar todos a participarem da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Como nós queremos o mundo daqui a 20 anos? Que futuro nós projetamos para os nossos filhos? O que nós precisamos mudar para melhorar o planeta em que vivemos?

O site O Futuro que Queremos que faz parte de uma iniciativa que já foi lançada em outros países, já está no ar em português e pretende induzir a “maior conversa global da história”. Qualquer pessoa pode acessá-lo e expor suas opiniões na página, respondendo a estas perguntas.

A ideia é que o site vá além da Rio+20, e a conversa prossiga mesmo após a conclusão do evento. Para Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informação das Nações Unidas, “a sociedade civil precisa estar presente das mais variadas formas” na conferência que será o maior evento da história da ONU e contará com a participação de 183 países.

A campanha “Eu Sou Nós”, que promove este bate-papo global não acontece apenas na internet. Todas as mídias podem transmitir a mensagem de forma voluntária. Grandes celebridades como Gisele Bündchen, Ronaldo, Oscar Niemeyer e Paulo Coelho já aderiram a iniciativa. E você tá esperando o que? Afinal, o futuro será como nós quisermos que ele seja.

Além da campanha foi lançado também o site Agenda Total, que irá reunir todas as informações sobre a conferência, desde a programação, como também conferências online.


COMENTÁRIOS DE BRUNO CORIOLANO:

O mundo está falando em cuidar do Meio Ambiente e acredito ser uma medida assertiva, mas as grandes nações precisam se disponibilizar a cooperarem também. 


Se você leu esse texto, deixa lá seu comentário. 

domingo, 27 de maio de 2012

PGM 369 - O Intel ISEF, a maior feira de ciência do mundo, irá contar com 30 estudantes brasileiros, representando 18 projetos inovadores.



Além de inteligentes, esforçados e vencedores, esses jovens estudantes têm outra coisa em comum: uma ansiedade que já não cabe no peito. "Estou com uma expectativa muito grande, mas acho que vai dar tudo certo e eu vou conseguir representar bem meu país lá", comenta Caio Terlus, estudante.

Junto com o Caio outros 29 alunos representarão os 18 projetos selecionados para disputar a edição anual da Intel ISEF, a maior feira de ciências pré-universitária do mundo. Esses jovens garantiram a vaga ao participarem das duas principais feiras nacionais de ciências e tecnologia; a Febrace, em São Paulo, e a Mostratec, no Rio Grande do Sul.

No ano passado, esta dupla conquistou o segundo lugar na categoria bioengenharia. Os estudantes de Novo Hamburgo desenvolveram o “REVO FOOT”, uma prótese ortopédica de baixo custo produzida com material reciclável; principalmente garrafas PET.

"Ela é muito similar a uma prótese de fibra de carbono, que tem um valor mínimo de R$ 7 mil no mercado, mas possui um custo bem mais em conta. É ideal para um paciente com poucas condições financeiras", explica Lucas Ferreira, estudante.

O projeto do Leonardo vai pra a ISEF pela terceira vez. Neste período, ele evoluiu muito suas pesquisas na busca de novos fármacos a partir da teia de aranha. Isso mesmo: na teia de aranha, ele descobriu substâncias com capacidade de combater micróbios, vírus e até tumores.

"Na realidade eu não trabalho com a teia de aranha, mas com os resíduos que as aranhas depositam em cima desta teia. A teia uita gente trabalha, mas o que a aranha coloca ali ninguém nunca trabalhou", ressalta Leonardo Bodo, estudante.

Mas os grupos que retornarão à ISEF, que este ano será realizada em Pittsburgh, nos Estados Unidos, são minoria; apenas três. Os outros 15 projetos são trabalhos novos que terão sua primeira chance neste evento, que conta com cerca de mil e quinhentos estudantes de 65 países diferentes.

"O importante disso é mostrar a renovação, mas gente está chegando ao nível de poder competir no Intel ISEF e isso pro Brasil é muito legal", diz Rubem Saldanha, gerente de Educação da Intel. 

Outro diferencial este ano é que existem projetos em praticamente todas as áreas. Mas o foco principal da maioria desses jovens ainda é a saúde pública.

"Há uma inquietação nestes jovens, que não estão preocupados em fazer apenas produtos tecnológicos, eles querem desenvolver tecnologia e fazer ciência para melhor a vida das pessoas. Isto tem sido muito presente nos projetos apresentados", comenta André Luís Viegas, coordenador da Mostratec. 

Lá nos Estados Unidos, esses brasileiros vão concorrer a prêmios em dinheiro e bolsas de estudos nas mais renomadas universidades do mundo. Outra unanimidade por aqui é que só ser escolhido para participar da ISEF já é uma grande vitória. No ano passado, com 11 projetos vencedores, a delegação brasileira teve o maior número de premiados da América Latina.

Graças a esses resultados e esforços de patrocinadores, o Brasil tem investido cada vez mais nos seus novos talentos. E hoje, há um decreto que vai facilitar o caminho de quem também deseja chegar lá...

"O Ministério da Ciência de Tecnologia, o Ministério da Educação, a Capes e o CNPQ se juntaram para lançar um edital que está fazendo com que a gente consiga ter feiras no país afora. São feiras estaduais, municipais e regionais que agora credenciam para Febrace e Mostratec para que a gente possa levar toda essa inteligência, criatividade e curiosidade dos alunos lá para fora. Dessa forma, eles percebem que são tão bons quanto os outros", finaliza Roseli Lopes, coordenadora da Febrace.

Quer participar você também? Ou incentivar alguma jovem mente brilhante? Veja acima os links das principais feiras de ciências nacionais que levam a ISEF, nos Estados Unidos.




FONTE: http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fow.ly%2Fbbh6x&h=7AQHILqy8

COMENTÁRIOS DE UM PROFESSOR:







Hoje pelo Facebook (link) me deparo com um comentário de um professor de uma universidade federal do nordeste. O mesmo faz indagações sobre as bolsas para pesquisadores. Vejam o que o mesmo disse:


Pegando carona no compartilhamento dos vergonhosos salários que o governo do PT reserve para os professores, o que dizer, então, das "bolsas" que o CNPq dá aos (eu cito) "pesquisadores que se destacam entre seus pares, valorizando sua produção cientifica". Com bolsas de R$ 1500,00 é que o país vai garantir seu lugar no mundo? Devemos rir ou chorar?”.



COMENTÁRIOS DE BRUNO CORIOLANO:

Devemos rir ou chorar? Quem disse que apenas jogar dinheiro na mão do povo vai melhorar a qualidade das pesquisas ou tornar nossos alunos melhores? Tenho acompanhado ultimamente pesquisas pífias e que não têm nenhuma relevância. O que estou querendo dizer aqui não é que esse valor é algo extraordinário ou satisfatório, mas acho que o valor deveria ser pago pela relevância da pesquisa: se for de boa qualidade, o pesquisador deveria receber incentivo extra, mas se for só mais uma pesquisa onde o investigador apenas almeja um diploma e acrescentar umas letrinhas a mais ao nome, deveria era mesmo pagar ao país por fazer isso. Devemos chorar ou rir? Fica a pergunta no ar. 

Não quero ser pessimamente mal interpretado, mas se for, eu pago minhas contas em dia e não devo mais nada a ninguém... Opinião por opinião, eu também tenho a minha.

sábado, 26 de maio de 2012

CRÔNICAS IRLANDESAS #1: UM PAÍS QUE ENCANTA LOGO DE CARA!


AUTOR DO TEXTO: Bruno Coriolano.
TEMPO ESTIMADO PARA A LEITURA: 7 minutos. 

TEMPO TOTAL DO VÍDEO: 9m e 22s







Recentemente resolvi colocar a mochila nas costas e me mandar para Europa com a intensão de aprender um pouco mais sobre o Velho Mundo, para ser mais preciso; sobre os países que falam o inglês como língua estrangeira ou como língua franca. Todos dizem que naquele continente as pessoas são conhecidas por estudarem diversos idiomas ao mesmo tempo. Algo facilmente explicado devido, entre outras coisas, ao fato da acessibilidade e mobilidade para praticar e vivenciar o idioma estudado.


Imagem: Bruno Coriolano_Dublin_Ireland.


Entre os países que visitei, está a Irlanda. Todos sabem algo sobre a Ilha Esmeralda, como é conhecida por muitos. São coisas como a banda U2, a cerveja preta, Guinness, referências à cor verde (Saint Patrick’s day), Pubs, escritores Oscar Wilde e James Joyce entre outras coisas. Seja lá o que for, sabemos algo sobre a Irlanda.


Para quem já teve contato com outras culturas não é difícil perceber que a receptividade do povo irlandês é bem diferente; eles são atenciosos, prestativos e pacientes. Para entrar no país, as regras são as mesmas da Comunidade Europeia: Um turista pode ficar até 90 dias no país sem a necessidade de obtenção de visto. Uma coisa boa para os estudantes estrangeiros e que eles podem trabalhar até 20 horas semanais durante o período de aulas e 40 horas durante as férias para ajudar nos custos.




Ao chegar ao aeroporto, você já se depara com algo que chama a atenção de qualquer estudante de Línguas: todas as sinalizações estão escritas em inglês, língua oficial, e em Gaélico Irlandês, também conhecido como “Irish”, segunda língua oficial do país. Embora pouco, ou quase, não falada, essa segunda língua está presente na cultura irlandesa. O turista não escutará os nativos se comunicando nesse idioma, pois a língua inglesa é usada por (quase) toda a população. Segundo informações obtidas com um taxista, com quem aproveitei para perguntar tudo que tive direito, o Gaélico (Irish) é tido como algo que mantem as raízes e o orgulho daquele povo. Embora seja ensinado nas escolas, quase ninguém fala mais o idioma.


É bastante comum encontrar poloneses vivendo principalmente em Dublin, capital da República da Irlanda (lembro aqui que existem duas “Irlandas”). Dos imigrantes, esse povo é maioria, seguido dos brasileiros, que são muitos espalhados pela capital, estejam eles trabalhando, estudando ou à turismo.




Na Irlanda é possível comer quase igual ao Brasil, pois é fácil de encontrar produtos de várias partes do mundo em supermercados irlandeses. Por falar neles, a maioria oferece produtos com suas próprias marcas, o que deixa o custo mais barato. O prato mais tradicional do país é o guisado irlandês (Irish Stew); trata-se de um guisado muito conhecido por lá que leva batata, carne de carneiro e outros ingredientes à época. Outra refeição muito famosa; acredito ser a mais conhecida também, é o café de manhã (Irish Breakfast), servido com torradas, carne de porco, ovos, feijão doce, bacon, salsichas e alguns ingredientes que podem variar de acordo com a região.  Pode parecer estranho ao primeiro contato, mas vale à pena experimentar.


Lembro aqui que na Irlanda dirige-se usando a mão inglesa, ou seja, do lado inverso ao nosso. Sabendo que isso pode causar alguma confusão para turistas desacostumados, as ruas são bem sinalizadas com dizeres tipo “olha para o lado direto” sempre que for atravessar. Como o espaço é curto, em próximo artigo falaremos de temas como religião, celebrações, misticíssimos e algumas curiosidades sobre aquele país. Até a próxima.


Deixo aqui a dica desse vídeo muito bem feito sobre Dublin:



---------

Texto publicado no caderno DOMINGO do Jornal de Fato. Dia 27 de Maio de 12.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Viajar proporciona ideias.


Marco Gonçalves, Rafael Pieroni e Leonardo Côrtes: sócios do Kpinha


AUTOR DO TEXTO: Bruno Coriolano.

TEMPO ESTIMADO PARA A LEITURA: 5 minutos.

Quando falamos em viajar e conhecer lugares, não estamos falando apenas em tirar fotografias e mostrar aos amigos e familiares, mas essas são ótimas oportunidades para aprender e empreender também. Vejam o exemplo desses jovens brasileiros, Leonardo Côrtes e Marco Gonçalves:

“O trabalho em busca de novidades fez com que outra oportunidade de negócio aparecesse. “Desde 2008, a gente faz viagens para China em busca de novidades e novas tendências e em uma dessas viagens a gente começou a perceber que as empresas estavam oferecendo muitos acessórios de iPhone”, explica Gonçalves, sócio-diretor da empresa.”

Leiam toda a matéria no site: Revista Exame

quinta-feira, 24 de maio de 2012

E o Partido dos Trabalhadores aprontou mais uma vez.

Resolução da Comissão Executiva Nacional do PT - Mossoró (RN)


Leia a íntegra do documento aprovado pelos membros da CEN nesta quinta-feira (24)

A Comissão Executiva Nacional, reunida em São Paulo no dia 24 de maio de 2012, decide:

1) Propor o apoio do PT à candidatura do PSB na cidade de Mossoró/RN;

2) Apresentar um(a) candidato(a) a vice-prefeito(a) para compor a chapa majoritária;

3) Propor a composição com o PSB na chapa de vereadores(as);

4) Abrir o debate sobre a definição do programa de governo, da coordenação e linha de campanha e da futura composição da administração municipal;

5) Abrir o debate com a direção do PSB no Rio Grande do Norte para compor chapas encabeçadas pelo PT em outras cidades do Estado.


São Paulo, 24 de maio de 2012.
Comissão Executiva Nacional do PT



MEU COMENTÁRIO:

Sinto pena do povo daquela cidade. Não tem jeito, de uma forma ou de outra, eles continuam mandando em tudo. O poder é algo maravilhoso. Mudança de que?


Curiosidade do dia (24 de Maio de 2012)



Hoje estamos comemorando o dia da uma das bebidas mais populares do mundo: o café. Há muitas lendas à respeito de seu surgimento, mas talvez a mais significativa seja sobre um árabe do século IX chamado Kaldi. Conta a história que Kaldi, ao notar a felicidade de seus bodes depois de comerem frutinhas vermelhas de um arbusto, pegou um punhado deles e começou a espalhar para a tribo maravilhas sobre o café. Nos 400 anos seguintes, os grãos de café eram apenas mastigados, por causa de seu efeito estimulante. Os árabes, no século XIII, foram os primeiros a processar o fruto amadurecido e torrado e dele tirar a bebida como conhecemos hoje.


Fonte: Guia do Curioso

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Remuneração de professores em 22/05/2012.

Não tem o que explicar por aqui. A imagem vale mais do que qualquer outro texto. Não estou dizendo que um professor deva ganhar rios de dinheiro, mas...





E como diria o genial Bob Dylan: 
"O dinheiro não fala, pragueja."

Pós-graduação obtida por brasileiros no Mercosul poderão ter reconhecimento automático.






A medida consta do Projeto de Lei 1981/2011, de autoria do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), que recebeu, nesta terça-feira (22), parecer favorável da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul), durante reunião presidida pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Os títulos de pós-graduação obtidos por brasileiros em instituições de ensino superior dos demais países do Mercosul - Argentina, Paraguai e Uruguai - poderão ter reconhecimento automático, para o exercício de atividades de docência e pesquisa. O parecer apresentado ontem é o primeiro passo da tramitação do projeto, que agora será analisado por duas comissões - Educação e Cultura, e Constituição, Justiça e Cidadania - e pelo Plenário da Câmara dos Deputados. Em seguida, a proposta tramitará no Senado.

Como observou em seu voto favorável o relator ad hoc do projeto, deputado José Stedile (PSB-RS), a regulamentação atualmente em vigor do Acordo de Admissão de Títulos e Graus Universitários do Mercosul determina que apenas professores e pesquisadores estrangeiros que trabalham no Brasil têm reconhecimento automático dos diplomas obtidos nos demais países do bloco.

O projeto determina a aplicação do mesmo princípio para os brasileiros, que ainda hoje precisam submeter seus diplomas aos procedimentos estabelecidos pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

"A proposição estende esse reconhecimento, no Brasil, a brasileiros que tenham obtido diploma em outros países do Mercosul e acrescenta sua utilidade para fins de concursos públicos, equiparando tais certificados, para efeito de posicionamento na carreira e no salário do detentor, àqueles regularmente obtidos em instituição de ensino superior brasileira", afirmou Stedile.
(Agência Senado)



Conhecendo um pouco das lendas ou histórias dos lugares que já passei: Jack, o Estripador.

O Leste de Londres era um lugar muito pobre no fim do século 19. Nessa época, a região passou a abrigar irlandeses expatriados e judeus refugiados. Assim, o aumento da densidade populacional da área, somado a uma economia decrépita, fomentou o roubo, a violência e a prostituição. Em outubro de 1888, a London’s Metropolitan Police estimou a presença de 1,2 mil garotas de programa e a existência de 62 bordéis em Whitechapel.

Esse foi o cenário dos crimes atribuídos a um dos assassinos de apelido mais conhecido da história: Jack, o Estripador (em inglês, Jack The Ripper). Entre 1888 e 1891, onze mulheres, em sua maioria prostitutas, foram assassinadas na região. Os assassinatos ficaram conhecidos pela polícia como The Whitechapel Murders.

Canonical five.

Mas nem todos esses assassinatos são associados atualmente ao Estripador. As principais correntes de estudo entendem que pelo menos cinco dessas mortes tiveram o mesmo autor, cuja identidade ainda se desconhece. Essas cinco mulheres foram assassinadas com corte de faca no pescoço e tiveram órgãos retirados de seu corpo.
1.   Mary Ann Nichols (Sexta, 31 de agosto de 1888)
2.   Annie Chapman (Sábado, 8 de setembro de 1888)
3.   Elizabeth Stride (Domingo, 30 de setembro de 1888)
4.   Catharine Eddowes (Domingo, 30 de setembro de 1888, 45 minuto depois)
5.   Mary Jane Kelly (Sexta, 9 de novembro de 1888)


O mistério acerca do criminoso é tão grande, que se formou uma legião de pesquisadores do assunto. Eles têm até nome: Ripperologists. Devido às restrições tecnológicas da época e ao longo tempo de  investigação dos casos, grande parte das evidências originais dos crimes foram perdidas. Muito do que se escreve hoje sobre os assassinatos é baseado nas opiniões desses escritores, que pesquisaram o tema em diferentes momentos, alguns muitos anos depois.

Tour do Jack, o Estripador.


Conheça os locais e as histórias dos assassinatos em East london, guiado por especialistas no assunto. O melhor tour a pé sobre Jack The Ripper é o London Walks.

As cartas.


Após o segundo assassinato, a polícia e os jornais começaram a receber cartas pretensamente escritas pelo autor do crime. Quase todas (ou todas) não passaram de trote. Um jornalista, inclusive, confessou ter redigido a primeira carta na qual aparece o nome de Jack, The Ripper (Jack, o Estripador), datada de 25 de setembro de 1888. Uma carta, cujo título é From Hell (Do Inferno), é considerada uma das mais prováveis a ter sido enviada pelo próprio criminoso. Isso porque ela estava dentro de uma caixa que continha um rim. Supôs-se que o órgão pertencesse à terceira vítima, que teve um rim removido pelo assassino. Na época, porém, a quantidade de trotes era tão grande, que se imaginou que um estudante de medicina pudesse ter redigido a missiva.
Os suspeitos.

Mais de 2 mil pessoas foram levadas à delegacia para prestar depoimento, mais de 300 delas foram efetivamente investigadas e cerca de 80, presas. A concentração dos assassinatos nos fins de semana, todos em ruas próximas, indicou para muitos que o serial killer trabalhava durante a semana e vivia nas redondezas. Também se suspeitou que o criminoso fosse um médico, pois teria que possuir algum conhecimento cirúrgico para realizar a remoção de órgãos internos. Mais tarde, concluiu-se, no entanto, que as extrações não haviam sido realizadas de forma tão acurada, ou pela falta de tempo para a operação, ou pela imperícia do contraventor. Assim, ampliou-se o escopo das buscas.

O Casebook, um site dedicado inteiramente aos assassinatos, apresenta uma votação de seus leitores sobre quem é o suspeito mais provável de ter cometido os crimes. James Maybrick, Francis Tumblety e Walter Sickert são os três principais.

Leia no site original aqui (link).