SOBRE O BLOGUEIRO

Sou um Beatlemaniaco. Tudo começa assim... Fiquei reprovado duas vezes no Mobral, mas nunca desisti. Hoje, sou doutor em Parapsicologia formado na mesma turma do Padre Quevedo; sou antropólogo e sociólogo formado, com honra, em cursos por correspondência pelo Instituto Universal Brasileiro. Em minha vasta carreira acadêmica também frequentei até o nono ano de Medicina Cibernética, Letras Explosivas, Química da Pesada, Direito Irregularmente torto e assisti a quase todas as aulas do Telecurso 2000 repetidas vezes até desistir de vez. Minha maior descoberta foi uma fábrica secreta de cogumelos venenosos comestíveis no meio da Amazônia Boreal. Já tive duas bandas de Rock que nunca tocaram uma música se quer. Comi duas vezes, quando criança, caspas gigantes da China pensando que era merda amarela. Depois de tudo isso, tornei-me blogueiro. Se eu posso, você pode também. Sou um homem de muita opinião e isso desagrada muita gente. Os temas postados aqui objetivam enfurecer um bom número de cidadãos.

- [Portal da Língua Inglesa] -

Facebook Badge

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Não deixe sua expectativa te pirar!


Esse texto de Danilo España (Você/SA) é muito bom e nos ajuda a refletir sobre nossas próprias expectativas na vida pessoal e no ambiente de trabalho. Nunca esperar demais e exigir o que é seu de direito são duas ações que podemos tomar para fazer com que nossas expectativas nunca nos tornem pessoas frustradas. Recomendo e leitura do mesmo com muita calma e sem pressa para termina-la. #ficaDica





A nossa motivação pode ser diretamente relacionada às expectativas que criamos diante das situações do dia-a-dia. Isso pode até parecer algo óbvio, porém atentar-se ao que nossa mente está criando é crucial para evitar frustrações mesmo quando o resultado final ainda é positivo.

No ambiente de trabalho, por exemplo, as expectativas em relação à empresa que se trabalha têm que ser do tamanho da realidade que ela vive no momento. Quantas vezes já tivemos a expectativa de receber um super-reconhecimento, juntamente com aquela sensação de merecer ser aplaudido e até presenteado por tamanho esforço para cumprir uma tarefa ou função, mas no final somos tratados como se não tivéssemos feito mais que a obrigação. A sensação é péssima e a motivação vai por água a baixo.

Mas veja bem, não estamos falando de sonhos, objetivos ou projetos, estamos tratando do que esperar quando efetuamos algum trabalho específico. E é aí que o bom senso deve entrar em ação, para mediar o eminente conflito entre uma expectativa e a avaliação do resultado final.

Ter a clara noção e ciência dos nossos méritos define o grau de expectativa que devemos ter ao desempenharmos uma ação. A partir daí surgem três condutas que podemos adotar:

A primeira é não esperar demais, assim a chance de frustração diminui, e qualquer surpresa positiva, por menor que seja se torna bem vinda. Porém cuidado com o pessimismo e conformismo, pois diminuir a expectativa é um tipo de posicionamento que também diminui a ansiedade e o estresse.

A segunda conduta a ser tomada se trata de exigir o que é seu de direito e cobrar as honras de seu mérito, seja ética ou financeiramente. Isso trará o devido respeito pelo seu trabalho e desempenho.

E ainda existe a terceira possibilidade que é comumente adotada quando esperarmos demais, como se fosse uma espécie de fé, que pode até funcionar, mas caso não funcione só não vale se decepcionar, pois sabemos muito bem dos altos riscos desse jogo. Seja qual for a sua expectativa, cobre principalmente de si mesmo pra que ela seja apenas justa!



“Vigie seus pensamentos, porque eles se tornarão suas palavras, Vigie suas palavras, porque elas se tornarão seus atos. Vigie seus atos, porque eles se tornarão seus hábitos. Vigie seus hábitos, porque eles se tornarão seu caráter. Vigie seu caráter, porque ele se tornará seu destino.”

Um comentário:

Ana Caroline disse...

muito bom, o texto o blog tbm! estou seguindo fique a vontade se quiser seguir de volta!rs