SOBRE O BLOGUEIRO

Sou um Beatlemaniaco. Tudo começa assim... Fiquei reprovado duas vezes no Mobral, mas nunca desisti. Hoje, sou doutor em Parapsicologia formado na mesma turma do Padre Quevedo; sou antropólogo e sociólogo formado, com honra, em cursos por correspondência pelo Instituto Universal Brasileiro. Em minha vasta carreira acadêmica também frequentei até o nono ano de Medicina Cibernética, Letras Explosivas, Química da Pesada, Direito Irregularmente torto e assisti a quase todas as aulas do Telecurso 2000 repetidas vezes até desistir de vez. Minha maior descoberta foi uma fábrica secreta de cogumelos venenosos comestíveis no meio da Amazônia Boreal. Já tive duas bandas de Rock que nunca tocaram uma música se quer. Comi duas vezes, quando criança, caspas gigantes da China pensando que era merda amarela. Depois de tudo isso, tornei-me blogueiro. Se eu posso, você pode também. Sou um homem de muita opinião e isso desagrada muita gente. Os temas postados aqui objetivam enfurecer um bom número de cidadãos.

- [Portal da Língua Inglesa] -

Facebook Badge

sábado, 8 de dezembro de 2007

Museu de Arte da Philadelphia.

Museu de Arte da Philadelphia.




O Museu de Arte da Filadélfia, localizado na cidade da Filadélfia, nos Estados Unidos foi criado em 1876 (abriu suas portas em 1877) e hoje é um dos maiores e mais importantes museus dos Estados Unidos. É conhecido localmente como o The Art Museum e sua coleção abriga mais de 225.000 objetos. Todos os anos, o Museu apresenta 15 a 20 mostras especiais e é visitado por cerca de 800.000 pessoas. Algumas das maiores e mais famosas mostras, que atraíram centenas de milhares de pessoas de todo o país e de outros lugares do mundo, incluíram as de Paul Cézanne (em 1996, atraindo 548.000 pessoas) e de Salvador Dalí (em 2005, atraindo 370.000 pessoas).


Além de sua arquitetura e suas coleções, o Museu é famoso pelo papel que teve em uma famosa cena dos filmes de Rocky Balboa, interpretado por Sylvester Stallone. É comum ver os visitantes imitarem a famosa cena das escadarias, que agora são comumentemente chamadas de Rocky Steps (Os degraus de Rocky). Uma estátua de bronze de Rocky foi colocada no topo das escadas para as filmagens de Rocky III e Rocky V. Logo depois foi removida do local, mas agora pode ser novamente vista no mesmo lugar.


Por causa de sua localização, no final da Benjamin Franklin Parkway, o Museu tem sido o pano de fundo de vários shows, entre eles o Live 8.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Liberty Bell - Philadelphia.

em frente ao Liberty Bell - Philadelphia -PA.


O Sino da Liberdade (Liberty Bell em inglês), localizado em Filadélfia, Pensilvânia, é um sino americano de grande significado histórico.

O Sino da Liberdade talvez seja um dos mais notáveis símbolos da Revolução Americana e a Guerra da Independência dos Estados Unidos da América. É um dos simbolos mais conhecidos da independência, nacionalismo e liberdade nos Estados Unidos, e se tornou um ícone internacional da liberdade.

Seu mais famoso toque, em 8 de Julho de 1776, convocou os cidadãos da Filadélfia para a leitura da Declaração de independência dos Estados Unidos da América. Antes disso ele já tinha soado para anunciar a abertura do primeiro Congresso Continental em 1774 e depois da batalha de Lexington e Concord em 1775.

O Sino da Liberdade era conhecido como Old State House bell (Sino da Antiga Casa do Estado) até 1837 quando foi adotado pela Sociedade Americana anti-escravatura como um símbolo do movimento abolicionista.
Inscrição

A inscrição gravada no Sino da Liberdade se lê a seguir:
PROCLAIM LIBERTY THROUGHOUT ALL THE LAND UNTO ALL THE INHABITANTS THEREOF LEV. XXV X.
BY ORDER OF THE ASSEMBLY OF THE PROVINCE OF PENSYLVANIA FOR THE STATE HOUSE IN PHILADA
PASS AND STOW
PHILADA
MDCCLIII

Em portugês:
Apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores LEV. XXV X.
por ordem da assembléia da província de Pensilvânia pela Casa do Estado em Philada
passe e guarde
Philada
MDCCLIII
A fonte da inscrição é a bíblia sagrada, livro de levítico, capítulo 15, versículo 10 na tradução de "King James", onde se lê "And ye shall hallow the fiftieth year, and proclaim liberty throughout all the land unto all the inhabitants thereof: it shall be a jubile unto you; and ye shall return every man unto his possession, and ye shall return every man unto his family." (em português: "E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessäo, e cada um à sua família."). A inscrição tinha como objetivo marcar o cinquentenário do Charter of Privileges de William Penn, escrito em 1701.

Biblioteca Benjamin Franklin

Benjamin Franklin Library - Philadelphia - PA.
Benjamim Franklin (1706-1790)

O impressor americano, autor, diplomata, filósofo, e cientista que por suas muitas contribuições para a causa da Revolução americana, e para o governo federal recentemente formado, o colocam entre os maiores estadistas do país.

Franklin nasceu em 17 de janeiro de 1706, em Boston. O pai dele, Josiah Franklin, merceeiro , teve 17 crianças; Benjamim foi a 15ª criança e o 10º filho. A mãe dele, Abiah Folger, foi a segunda esposa do pai dele. Os Franklin viviam em circunstâncias modestas, como a maioria dos moradores da Nova Inglaterra da época. Depois de freqüentar a escola dos oito aos dez anos de idade Benjamim foi levado para trabalhar no negócio do pai dele. Achando o trabalho em que estava muito chato, ele foi trabalhar de cuteleiro. Com a idade de 13 anos ,ele estava empregado como aprendiz com seu irmão James que tinha voltado recentemente da Inglaterra com uma máquina de impressão nova.

Benjamim aprendeu o ofício de impressor e passou a dedicar o seu tempo à melhorar sua educação . As leituras dele incluíam o "Progresso de Peregrino"pelo pastor britânico John Bunyan, " Vidas Paralelas", o trabalho do ensaísta grego e biógrafo Plutarco, "Ensaios e Projetos" pelo jornalista inglês e novelista Daniel Defoe, e as "Composições para Fazer Bem" escrito por Cotton Mather, clérigo americano. Quando comprou uma cópia do terceiro volume de "Spectator" do ensaísta britânico Sir Richard Steele e Joseph Addison ele resolveu melhorar seu estilo de escrita e prosa.

Em 1721 seu irmão James Franklin criou o jornal New England Courant, e Benjamim, com 15 anos de idade ficou extremamente ocupado entregando o jornal de dia e escrevendo artigos à noite. Estes artigos, que publicou anonimamente, ganharam grande admiração por suas observações expressivas à respeito da situação da época. Por causa de sua postura liberal o New England Courant freqüentemente incorria no desagrado das autoridades da colônia. Em 1722 por causa de um artigo considerado particularmente ofensivo, James Franklin foi preso por 1 mês e proibido de publicar seu jornal, que, por um tempo apareceu em nome de Benjamin.

Filadélfia e Londres
Por causa de desentendimentos com James, Benjamin deixou Boston e foi para Filadélfia, chegando lá em outubro de 1723. Lá ele trabalhou no comércio e fez numerosos amigos, entre eles o Sr. William Keith que era o governador da província da Pensilvânia.

O governador persuadiu Franklin a ir para Londres terminar seu treinamento como impressor e a comprar o equipamento de que necessitava para abrir seu próprio jornal na Filadélfia. O jovem Franklin aceitou o conselho e chegou a Londres em dezembro de 1724. Não tendo recebido de Keith as cartas prometidas de apresentação e crédito, Franklin, com a idade 18 anos se encontrou, sem meios em uma cidade estranha. Com a sua desenvoltura característica, ele obteve emprego em duas das casas de impressão mais famosas em Londres. Palmer e Watt. O trabalho dele, e suas realizações ganharam logo o reconhecimento de várias das figuras mais distintas no mundo literário e de publicações..

Em de outubro de 1726 , Franklin voltou à Filadélfia e retomou o seu comércio . No ano seguinte, junto com vários os conhecidos dele, organizou um grupo de discussão conhecido como o Junto que depois se tornou a Sociedade Filosófica americana. Em setembro de 1729, ele comprou a Gazeta de Pensillvânia, um jornal semanal , pobremente editado que ele transformou com seu estilo engenhoso de seleção judiciosa das notícias.. Em 1730 ele casou com Deborah Read (1705-74), uma mulher da Filadélfia a quem ele tinha conhecido antes de viajar para a Inglaterra.
Projetos e Experiências
Franklin se ocupou de muitos projetos públicos. Em 1731 ele fundou o que provavelmente foi a primeira biblioteca pública na América, se tornando em 1742 na Biblioteca de Filadélfia.
Ele publicou o Almanaque do pobre Richard em 1732, sob nome de Richard Saunders. Este volume modesto ganhou um grande número de leitores e apreciadores, sua sabedoria prática se tornou uma influência penetrante no caráter americano.

Em 1736 Franklin se tornou o clerk da Assembléia Geral da Pensillvânia e no ano seguinte foi designado como deputado da Filadélfia.

Aproximadamente nesta época, ele organizou a primeira companhia de bombeiros naquela cidade e introduziu métodos para a melhoria das ruas pavimentando-as e iluminando-as.
Sempre interessado por estudos científicos, ele inventou meios para corrigir a fumaça excessiva das chaminés e inventou, ao redor 1744, o fogão Franklin que fornecia maior calor com um consumo reduzido de combustível.

Em 1747 Franklin começou as experiências elétricas dele com um aparato simples que ele recebeu de Peter Collinson na Inglaterra. Ele imaginou uma teoria sustentável do jarro de Leyden, apoiou a hipótese de que o raio é um fenômeno elétrico, e propôs um método efetivo de demonstrar este fato. O plano dele foi publicado em Londres e ficou conhecido na Inglaterra e França antes que ele executasse a experiência célebre com a pipa em 1752. Ele inventou o pára-raios e estudou o que é chamado o "um-fluido" teoria que explicava os dois tipos de eletricidade, positivo e negativo.

Em reconhecimento às realizações científicas impressionantes dele, Franklin recebeu títulos honoris causa da Universidade de St. Andrew e da Universidade de Oxford. Ele também se tornou um membro da Sociedade Real de Londres e, em 1753, foi premiado com a Medalha de Copley por contribuições distintas para ciência experimental.
Franklin também mostrou uma grande influência na educação na Pensilvânia. Em 1749 ele escreveu Propostas relativas à Educação da Mocidade na Pensilvânia; sua publicação conduziu ao estabelecimento em 1751 da Academia da Filadélfia, que veio depois se tornar a Universidade da Pensilvânia. O currículo que ele sugeriu era então uma mudança considerável no programa de estudos clássicos em voga. O inglês e idiomas estrangeiros modernos seriam enfatizados como também matemática e ciência.

Em 1748 Franklin vendeu o negócio de impressão dele e, em 1750, foi eleito para Assembléia da Pensilvânia na qual ele serviu até as 1764. Ele foi designado deputado geral para as colônias em 1753, e em 1754 ele era o delegado da Pensilvânia para o congresso intercolonial.
Ele criou o Plano Albany, que foi profético da Constituição de 1787. Pregava a independência local dentro de uma união colonial. Mas, não foi compreendido pelo público para obter ratificação. Ele tinha a forte convicção de que a adoção desse plano teria evitado a Revolução Americana.

Em 1757 Franklin foi enviado à Inglaterra pela Assembléia da Pensilvânia e acabou ficando por lá durante 5 anos como chefe representativo das colônias americanas. Durante esse período ele fez amizade com muitos homens importantes como o químico e clérigo Joseph Priestley, o filósofo e historiador David Hume e o filósofo e economista Adam Smith.
Franklin voltou à Filadélfia em 1762, onde ele permaneceu até 1764, quando foi despachado uma vez mais para a Inglaterra como o agente da Pensilvânia. Quando percebeu que a despeito dos seus esforços, a guerra era inevitável, Franklin voltou para sua pátria após 11 anos de ausência. Ele chegou à Filadélfia em 5 de maio de 1775.

Diplomata da Revolução
Em 1775 Franklin viajou para o Canadá e passou por um grande sofrimento no caminho, em seus esforços vãos de conseguir a cooperação e apoio de Canadá na Revolução. Após seu retorno, ele foi escolhido para fazer parte do comitê de cinco, escolhido para fazer o rascunho da Declaração de Independência. Ele foi também um dos que assinou esse documento histórico
Sua reputação de cientista, sua integridade e caráter o tornaram extremamente popular nos círculos políticos, literários e sociais na França, assim conseguindo para os Estados Unidos, uma ajuda que talvez outro não conseguisse. Em fevereiro de 1778, Franklin negociou o Tratado de Comércio e Aliança defensiva com a França, o que representou o ponto de virada na Revolução Americana. Sete meses após, ele foi escolhido pelo Congresso como Primeiro Ministro Plenipotenciário dos Estados Unidos na França.

Seu conhecimento científico lhe rendeu a indicação do rei de França para uma comissão que estava investigando o físico austríaco Franz Anton Mesmer e o fenômeno do magnetismo animal.
Em março de 1785 , Franklin, a próprio pedido dele, abandonou seus deveres na França e voltou à Filadélfia. Foi imediatamente escolhido para o Conselho Executivo da Pensilvânia (1785-87). Em 1787 foi eleito foi eleito delegado para a Convenção que preparou a Constituição Norte Americana.

Franklin estava, nessa época profundamente interessado em projetos filantrópicos e um de seus últimos atos públicos foi assinar a petição para o Congresso em 12 de fevereiro de 1790, como presidente da Sociedade para Abolição da Escravatura da Pensilvânia pedindo urgência na libertação dos escravos. Dois meses depois em 17 de abril, Franklin morreu em sua casa na Filadéfia aos 84 anos de idade.

domingo, 30 de setembro de 2007

CELEBRAR O ESPÍRITO DA LIBERDADE

Em frente ao Indepence Hall - Philadelphia. 2007.





Poderá revestir-se de um sentido espiritual, mas a verdade é que a cidade de Filadélfia exerce uma atração irresistível e todo o americano que se preze tem de lá ir, pelo menos, uma vez na vida. Ao contrário de Meca, para os seguidores do Islão, os americanos não se deslocam a Filadélfia movidos pelo fervor religioso, mas pelo sentir patriótico enraizado desde os bancos da escola e pelo desejo de visitar os locais históricos onde foi assinada a Declaração de Independência e a primeira Constituição do país.

Philadelphia

Philadelphia 2007




Aqui, sentado depois de uma longa caminhada pela cidade. A foto foi incidental, mas gostei por lembrar um filme que gosto muito: Forrest Gump, o contador de história.

Não tinha a intensão de postar ou divulgar essa foto, mas por achar que ficou legal. La vai.

sábado, 29 de setembro de 2007

FOTO: Chinatown em Washington D.C.

Foto tirada na entrada do bairro de chineses em Washington (Chinatown).




Washington é uma cidade muito bem organizada onde as diferenças são deixadas de lado. As pessoas se vestem bem e são extremamente educadas.

Depois de andar bastante ao redor da cidade, resolvemos pegar o ônibus para Georgetown, no caminho para o Bus Terminal me deparei com essa entrada do Chinatown e decidi tirar duas fotos para deixar registrada na minha “coleção de chinatowns”, já que havia estado na de New York e Philadelphia.

Vietnam Veterans Memorial.

Em frente ao Vietnam Veterans Memorial. Washington D.C. - 2007

Entre várias coisas que podemos ver na cidade de Washington estão os memoriais de guerra. São vários, todos dedicados às pessoas, segundo os americanos, que ajudaram a construir essa grande nação.

O Vietnam Veterans Memorial, dedicado às pessoas que serviram na Guerra do Vietnã.


sábado, 22 de setembro de 2007

Foto: Freedom is not Free!

Em frente ao US Capitol - Washington D.C. - 2007.

Não poderia perder essa chance de tirar essa foto em frente ao Senado Americano (repare na mão direita) . Um país como este precisa de um líder sábio, não um caipira.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

World War II Memorial - Washington.

O World War II Memorial e o Washington Monument ao fundo.

O National World War II Memorial, um memorial de guerra, dedicado aos soldados que serviram na Segunda Guerra Mundial. devido ao psicopata que foi comigo para Washington não pude tirar uma foto mais detalhada do local.


Washington é uma cidade onde se ver muitos tipos de monumentos em homenagem a guerras.

Smithsonian Castle - Washington D.C.

Smithsonian Castle - Washington D.C. 2007
A Smithsonian Institution (Instituto Smithsoniano) é uma instituição educacional e de pesquisa associada a um complexo de museus, administrada e fundada pelo governo dos Estados Unidos. Com grande parte de seus prédios localizados em Washington, DC, o instituto compreende 19 museus e sete centros de pesquisa, e tem 142 milhões de itens em suas coleções.

A Smithsonian Institution foi fundada para a promoção e disseminação de conhecimento pelo cientista britânico James Smithson (1765-1829). No testamento de Smithson, ele declarou que se o herdeiro, seu sobrinho Henry James Hungerford, morresse sem deixar descendentes, o patrimônio dos Smithson deveria ser doado ao governo dos Estados Unidos para a criação de um "estabelecimento para a expansão e difusão de conhecimento entre os homens". Após Henry James morrer em 1835 sem deixar herdeiros, o presidente Andrew Jackson informou o Congresso do patrimônio de Smithson, que consistia de 100,000 moedas de ouro e 500,000 dólares (9,235,277 em valores de 2005).

A Smithsonian Institution foi então estabelecida como um truste por uma lei do Congresso, sendo funcionalmente e legamente um órgão do governo dos Estados Unidos.

National Gallery of Art - Washington D.C. - 2007


Em frente a National Gallery of Art (Galeria Nacional de Arte) Washington D.C. - 2007


O National Gallery of Art (Galeria Nacional de Arte) é um museu de Arte, situado no National Mall de Washington D.C..


O museu foi fundado em 1937 por uma acta do Congresso dos Estados Unidos da América, Andrew W. Mellon doou um fundo para a construção e a sua colecção de arte. Samuel H. Kress contribuiu com uma original colecção de arte italiana e mais 2.000 esculturas, pinturas, arte decorativa e porcelanas de Joseph E. Widener.

"Give Peace a chance"

Bush, queremos paz!


Um amigo meu viu essa foto e perguntou se essa era a mulher que aparecer no documentário de Michael Moore. Sim, é ela mesma. Uma senhora muito simpática que abraçou uma causa.

Washington para mim foi uma descoberta, pois como planejei ir de ultima hora com um companheiro que conheci no ônibus a caminho dos Cassinos de Atlantic City (New Jersey), não conhecia muito sobre a cidade. A cada novo passo, uma nova surpresa. 



Desde 1981, Concepción Picciotto, de 58 anos, ex-secretária da embaixada espanhola, mora em frente à Casa Branca. Com um banquinho, caixas de papelão, cartazes de protesto e uma resistência impressionante, ela disputa a atenção dos turistas com o luxo cafona da residência presidencial. Apesar de ter apenas 1,52m de altura e sempre falar baixinho, dona Conchita dá uma senhora dor de cabeça à polícia que trabalha na altura do número 1.600 da Pennsylvania Avenue, Washington DC.

Washington Monument.

Ao Fundo o Washington Monument.

Esta foto foi batida em frente ao Washington Monument, a construção mais alta da cidade, sempre rodeada de bandeiras americanas. O monumento tem um elevador que leva os visitantes até a parte de cima deste obelisco, onde se tem uma vista magnífica da cidade. Este monumento, bem como o próprio nome da capital americana homenageiam George Washington.

Um Pouco De História:
Na véspera da chamada American Revolution, levante contra o domínio inglês até então vigente no país, Washington foi designado comandante do exército americano. Suas tropas eram muito limitadas, e enfrentaram também problemas de suprimentos, munição e falta de treinamento adequado. Mesmo assim, após seis anos de guerra, e com a valiosa ajuda da armada francesa, conseguiram derrotar definitivamente os ingleses em outubro de 1781, na batalha de Yorktown.
Em 1787 foi Washington quem esteve a frente da equipe que escreveu a constituição do país, a mesma que vigora até hoje, sendo que neste mesmo ano ele foi eleito como primeiro presidente do Estados Unidos.

Foto: sentado em frente ao Lincoln Memorial

sentado em frente ao Lincoln Memorial - Washington.

Abraham Lincoln

Foto tirada em frente ao Lincoln Memorial. atrás o Washington Monument.


"Que Deus me dê a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, coragem para mudar as que posso e sabedoria para distinguir umas das outras".

Abraham Lincoln

A capital americana foi a cidade que visitei que mais me impressionou. Não apenas por sua beleza, mas também pela receptividade dos americanos. Jamais esperava encontrar em Washington D. C. uma cidade com uma arquitetura tão bonita. Note que todos estão bem vestidos.

Senti-me fazendo história nesse dia. Quero dizer, me senti dentro de um livro de história. Isso mesmo, ao visitar os museus e admirar todas as estatua, e homenagens aos militares que prestaram serviços aquele país, pude lembrar-me de todas as vezes que li em livros de História americana, sobre as guerras nas quais aquele país já enfrentou/se envolveu.

Lincoln Memorial - Washington D.C.

Lincoln Memorial.
O Lincoln Memorial fica no lado oeste do National Mall e de longe se avista o belo monumento neoclássico em honra ao 16º. Presidente norte americano. O memorial foi desenhado por Henry Bacon, baseado nos antigos templos gregos, circundado por 38 colunas dóricas, uma para cada um dos 36 Estados da União na época da morte de Lincoln e mais duas colunas na entrada, atrás da colunata. Entre as alas norte e sul, a estátua de Lincoln, solitária, em estado de contemplação.

Uma das vistas mais bonitas que se tem do obelisco é exatamente seu reflexo no espelho d’água na Reflecting Pool , uma enorme piscina que se estende até o Lincoln Memorial.

O nome dos 48 Estados da União quando o memorial foi concluído estão esculpidos nas paredes e uma placa comemorativa da admissão dos Estados do Alaska e do Havaí complementam a homenagem aos 50 Estados que integram a União atualmente. Atrás da cabeça da estátua de Lincoln a inscrição "IN THIS TEMPLE AS IN THE HEARTS OF THE PEOPLE FOR WHOM HE SAVED THE UNION, THE MEMORY OF ABRAHAM LINCOLN IS ENSHRINED FOREVER", que é atribuída ao líder confederado Robert E. Lee. As mãos de Lincoln mostram as letras "A" e "L" na linguagem de sinais, as iniciais de seu nome.

Há dois murais, um representando a liberdade dos escravos e outro a unidade dos Estados do Norte e do Sul.

O famoso discurso de Martin Luther King - "I Have a Dream" – foi feito em 1963 em frente ao memorial, nas suas escadarias, para cerca de 1 milhão de pessoas. Exatamente no lugar onde ele ficou de pé, no exato degrau, há uma inscrição gravada no granito marcando aquele momento.

A estátua foi esculpida em 4 anos pelos irmãos Piccirilli sob supervisão do escultor, Daniel Chester French e mede exatos 5.79 metros de altura e pesa 175 toneladas!

O plano original da estátua previa apenas 3 metros e meio de altura mas a tempo acharam que Abraham Lincoln ficaria parecendo um anão dentro de um mausoléu. Logo após a morte de Lincoln foi formada uma comissão que propôs a construção do monumento em 1867. O projeto não começou a ser construído imediatamente por falta de fundos, o que só veio a ocorrer após aprovação pelo Congresso em 1910. A construção começou a 1914 e o memorial foi aberta ao público em 1922 e desde então ele em sido visitado por milhões de pessoas a cada ano.

O Lincoln Memorial é administrado pelo National Park Service, e fica bem próximo do West Potomac Park, em frente à Reflecting Pool, em linha reta, em direção ao Washington Monument, ao lado da Constitution e da Independence Avenues.

Diversos filmes foram rodados com locações no Lincoln Memorial , mas talvez o mais marcante tenha sido Forrest Gump, O contador de histórias, de 1994, dirigido por Robert Zemeckis, que conta quarenta anos de história dos Estados Unidos, vistos pelos olhos do rapaz com baixo QI e meio autista, que participa de momentos cruciais como a Guerra do Vietnã e o caso Watergate . Uma das cenas mais tocantes do filme foi justamente quando Forrest discursava numa solenidade sobre um palco montado defronte o memorial e encontra sua amada Jenny e caminha pelo lago ao seu encontro.

Abraham Lincoln (1809-1865) foi o 16º Presidente dos Estados Unidos da América, de 1861 a 1865, e o primeiro presidente do Partido Republicano. Sua eleição acabou motivando a Guerra de Secessão, mas ele, com sua liderança, soube preservar a unidade do país durante essa guerra civil.

Entre outras razões, tornou-se conhecido por sua oposição ao crescimento da escravidão e sua inteligência o fazia escrever discursos que acabaram por tornarem-se verdadeiros clássicos das idéias democráticos americanos. Curiosamente o povo norte-americano pouco sabia a respeito de Lincoln quando ele assumiu a Presidência.

Nada em sua experiência passada indicava que poderia enfrentar com êxito a maior crise da história do país. Lincoln recebeu menos de 40% da votação popular. Como presidente, foi muitas vezes negligente e pouco eficiente, cedendo a pressões políticas, todavia são falhas de pouca importância quando comparadas aos seus grandes méritos. Sua maior qualidade residia na capacidade de compreender os problemas mais graves. Sua habilidade em discursar e expressar-se tão clara e vigorosamente o tornaram muito mais popular do que quando eleito.

Casa Branca - Washington D.C.

Casa Branca - Washington D.C.





Tive um grande choque ao ver que a Casa Branca (White House). Aquilo que eu só vi na TV estava diante dos meus olhos. O grande símbolo de poder mundial estava ali, na minha frente, ou melhor, eu que estava de frente para a mesma.


Não vou mentir e dizer que “conhecia” mais do que a Casa Branca antes de ir para a capital americana. Isso mesmo, só sabia da existência dela, nada mais sobre a cidade antes de resolver visitá-la.

As informações contidas nesse texto foram retiradas de sites informativos da internet.


A Casa Branca é a sede oficial do Poder Executivo do governo dos Estados Unidos da América, sendo também a residência oficial do Presidente da República. Localiza-se na cidade de Washington, Distrito de Columbia, mais especificamente na Pennsylvania Avenue, número 1600.

Como escritório do Presidente, a Casa Branca é também usada como referência ao governo do Presidente atual, como em "Hoje, a Casa Branca anunciou um novo imposto". O código do Serviço Secreto para o local é "crown". A propriedade pertence ao National Park Service, que administra parques nacionais e monumentos nos EUA, e é por eles conhecida como "President's Park".

No verso da nota de 20 dólares americanos encontra-se uma imagem da Casa Branca, ai que saudade delas.

A Casa Branca possui no seu interior:
132 salas
35 casas de banho
6 depósitos
412 portas
147 janelas
28 lareiras
8 escadarias
3 elevadores
5 chefs de tempo integral
5.000 visitantes diários
uma quadra de ténis
uma pista de bowling
um cinema
uma pista de corrida
uma piscina

Ano da postagem: 2007.

Morro do Congresso - Washington D.C.

Ao fundo o Capitólio dos Estados Unidos da América. Washington D.C.

O Morro do Capitólio (Capitol Hill), que possui 24 metros de altitude, é um morro localizado próximo ao centro geográfico de Washington. Ali estão localizados:

O Capitólio dos Estados Unidos da América, localizado próximo ao centro geográfico de Washington. É onde os membros do Congresso americano encontram-se para discutir e adotar legislação. Possui 91 metros de altura, e é considerado uma das mais belas estruturas do país.

A Suprema Corte dos Estados Unidos da América, onde os membros da corte suprema do país reúnem-se em sessões para discutir leis e decisões tomadas por cortes de níveis inferiores. Turistas não somente podem apreciar a arquitetura do edifício como podem também atender às sessões da Corte.

O Jardim Botânico dos Estados Unidos da América, um jardim botânico que exibe cerca de 10 mil espécies diferentes de plantas.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Video: é só clica no link.

Video feito com fotos tiradas na cidade de New York. É só clicar no link e esperar carregar. A pagina do youtube automaticamente abrirá.

http://www.youtube.com/watch?v=PlBZ2HjwnUs

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

História

Washington D. C. - 2007.



Nativos americanos viviam na região do Distrito de Columbia cerca de 12 mil anos antes da chegada dos primeiros exploradores europeus. Um dos primeiros europeus a explorar a região foi o inglês John Smith de Jamestown, um soldado que anteriormente ajudou a estabelecer a colônia de Jamestown. Smith explorou a região usando o Rio Potomac, em 1608, e encontrou os nacotchtank, um grupo nativo que falava um idioma algonquino. Os nativos inicialmente receberam amigavelmente o comércio europeu, mas os conflitos sobre a propriedade das terras levaram posteriomente a batalhas entre colonizadores europeus e os nativos. Como consequência, os nacotchtank abandonaram as suas vilas e recuaram para as florestas da região.

Por volta de 1660, alguns ricos colonizadores ingleses adquiriram as terras ao longo do Rio Potomac, para o cultivo de tabaco, fazendo intensivo uso do trabalho escravo. Por volta de 1740, foram construídos uma estação de inspecção de tabaco e um depósito na margem sul do Rio Potomac, e uma pequena vila começou a crescer em torno da estação e do depósito. Em 1751, esta pequena comunidade foi renomeada George Town, e posteriomente, Georgetown.

Washington D.C. Capital dos Estados Unidos da América.

Ao Fundo a Casa Branca (The White House). Washington D.C





Washington, DC é a capital dos Estados Unidos da América. DC é a abreviação de Distrito de Columbia, onde a cidade está localizada. O nome oficial da cidade em inglês é Washington, D.C., enquanto que seu nome completo é Washington, District of Columbia.


A cidade de Washington e o Distrito de Columbia são co-existentes entre si, governados por um único governo municipal e, por isto mesmo, podem ser considerados como uma mesma entidade administrativa. Isto não foi sempre o caso, porém, visto que outras cidades existiram dentro dos limites do Distrito até 1878, que foram gradualmente fundidas com Washington, DC. Coloquialmente, a cidade é conhecida como District, D.C. ou simplesmente Washington. A cidade possui dois nomes históricos, Federal City e Washington City.


Washington, DC não deve ser confundido com o 42° Estado americano, Washington. Por isso, nos Estados Unidos, Washington, a capital nacional, é frequentemente chamado de D.C. (abreviação de Distrito de Columbia); e Washington, o Estado, de Estado de Washington.


O Distrito de Columbia, formado oficialmente em 16 de julho de 1790, é o Distrito Federal americano, como especificado pela Constituição estadunidense, com limitado poder local. O Distrito é governado diretamente pelo Congresso estadunidense. Os habitantes de Washington não possuem representantes com o poder de voto no Congresso, o que tem levado em tempos recentes à popularização de uma proposta de fazer do Distrito de Columbia o 51° Estado americano.


Washington, DC foi formado através de terras cedidas pelos Estados de Maryland e Virgínia. Em 1847, a região que fora cedida pela Virgínia foi devolvida à última, região que compõe atualmente o Condado de Arlington. A construção de Washington iniciou-se em 1792, sendo inaugurada em 1800, no mesmo ano em que tornou-se a capital americana. Washington foi nomeada em homenagem ao primeiro Presidente americano, George Washington, enquanto que o termo District of Columbia deriva de um antigo nome poético dos Estados Unidos, Columbia, que caiu em desuso no início do século XX.


Washington está situado no leste do país na margem norte do Rio Potomac. A população da cidade propriamente dita é de 563 384 habitantes, enquanto que sua região metropolitana possui cerca de 4,7 milhões de habitantes (7,8 milhões juntamente com a região metropolitana de Baltimore, localizado a 100 quilômetros de Washington). Washington abriga as sedes dos três braços do governo americano, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Além disso, a cidade abriga também as sedes do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial, da Organização dos Estados Americanos, entre diversas outras instituições nacionais e internacionais. Assim sendo, Washington é palco frequente de grandes protestos populares e demostrações políticas, que ocorrem principalmente no National Mall.

Washington, além de ser um dos mais importantes centros políticos do mundo, é também um pólo turístico, possuíndo diversos monumentos e atrações, entre os quais se contam a Casa Branca (residência do Presidente dos Estados Unidos), o Capitólio (sede do Congresso), a Biblioteca do Congresso, o Monumento de Washington, e o Memorial de Lincoln.

domingo, 16 de setembro de 2007

Aeroporto Internacional John F. Kennedy - New York City.

Primeira foto tirada em território americano. (JFK Airport). Familia Borgata [Renan, Girão, Ciro, George, Fernando Fuinha e Eu]



O Aeroporto John F. Kennedy, também conhecido como JFK, situa-se em New York, na seção sudeste do Queens, na baía Jamaica. Ele fica a quinze milhas da cidade pela estrada de Midtown Manhattan. Os pontos de referência geográfica são 40'38'25.8 Norte,73'46'41'9 Oeste.
O JFK tem um tamanho equivalente a 4.390 acres, incluindo 880 no Área do Terminal Central (CTA). O aeroporto tem mais de 30 milhas de estrada e é 4 m acima do nível do mar.
O aeroporto é operado pela Port Authority of New York and New Jersey.

Foto: Statue of Liberty.

Estátua da Liberdade ao fundo.

BROADWAY - New York City.

Na Broadway - New York City - 2007.



Broadway, via larga em inglês, é uma avenida da cidade de New York, Estados Unidos. A Broadway já existia antes do Commissioner's Plan de 1811, e portanto não obedece à malha viária ortogonal caractetística de New York . A Broadway é muito famosa pelos seus teatros que exibem superproduções de musicais, que muitas vezes ficam em cartaz durante vários anos. Atravessa a Times Square e é ponto de referência para 43 teatros que conformam o Circuito Broadway.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Little Brazil

Little Brazil - New York City.




Em Nova York, existe até uma rua chamada de Little Brazil (46th St.) bem próxima da famosa Times Square, onde anualmente é realizada a Festa dos Brasileiros em comemoração do Dia da Independência. Nesta festa, que também acontece em São Francisco, grupos musicais da atualidade se apresentam e barracas servem comidas e bebidas típicas, atraindo tanto brasileiros como também outras diversas nacionalidades que compõe a cidade. Muitas vezes o próprio prefeito comparece para abrir o evento.Hoje, no entanto, há notícias de que diversas lojas da 46th St. estão sendo vendidas para não brasileiros.

domingo, 9 de setembro de 2007

The Metroplitan Museum of Art

The Metroplitan Museum of Art

The Metropolitan Museum of art: é o maior museu de arte das Américas, com mais de 02 milhões de obras. Quando estava por lá pude ver jarros gregos, a primeira escrita cuneiforme, várias esculturas famosas, quadros de pintores famosos (Van Gogh) e coisas que só via nos livros de História.

Grand Central Terminal

Grand Central Terminal - New York City.



Totalmente reformada a Grand Central Terminal vale uma visita (fora da hora do rush). Sua imensa estrutura tem o teto pintado super bonito com as constelações, e data de 1913. Há uma variedade de lojas(44) tipo Banana Republic, Godiva, Children´s General Store ( uma loja de brinquedos educativos muito legal!!), outra bárbara Discovery Channel Store, cafés e restaurantes como se você estivesse num shopping. A estação é tão linda que Karl Lagerfeld, realizou o desfile da Chanel. Para os fãs de ostras, não deixe de almoçar no Oyster Bar, o melhor da cidade! Com certeza você se lembrará de muitos filmes que foram feitos lá...Para os loucos por basquete vale a pena ir ao restaurante do Michael Jordan´s Steak House,(eleito entre os 10 melhores steakhouses de NY.) e aproveitar para comprar souvenirs com seu famoso número "23".Há também um grande mercado de flores, frutas, frutos do mar, pães deliciosos (Zaro´s desde 1925) etc.

St.Patrick´s Cathedral


Catedral de São Patricio - New York City.



Localizada na 5ª Ave.entre a 50th e 51st Street, é a maior catedral dos Estados Unidos. É linda e seu estilo gótico foi inspirado na catedral de Colônia, Alemanha. Começou a ser construída em 1850 e só foi finalizada em 1879, está entre as 11 maiores do mundo. Do lado direito do altar uma relíquia de Santa Terezinha atrai muitos fiéis, assim como o quadro de N.Sra. de Guadalupe, padroeira das Américas, que fica ao lado. Há concorridos casamentos, recebendo noivas que chegam em carruagens... No Natal o espetáculo fica por conta de concertos emocionantes ...como de Pavarotti!

Transporte

Foto tirada de dentro do Metrô (Subway) - New York.


Por causa de grandes congestionamentos, especialmente em Manhattan, e de um excelente sistema de transporte público (especialmente seu sistema de metrô), seis de cada dez pessoas usam ou transporte público ou vão a pé para o trabalho, criando um tipo de "cultura pedestrial", sensivelmente diferente daquela existente em outras grandes cidades americanas (destaque para Los Angeles), onde é a "cultura do carro" que predomina. Por curiosidade, mais de 65% da população não possuem carros. Mesmo o atual prefeito, Michael Bloomberg, um bilionário, usa trens públicos todo dia como meio de locomoção.

O metrô é o mais prático e rápido, principalmente para as longas distâncias, além de ser barato. Enquanto estiver em Manhatan use e abuse do metrô (que funciona 24 horas por dia, 7 dias da semana) e dos conhecidíssimos táxis amarelos. Se não estiver chovendo, pois em dias assim, eles praticamente somem das ruas, mas lembre-se tem que pagar gorjeta (tips). Os ônibus, todos com ar condicionado, também são uma alternativa. Mas, aproveite que está em New York e aproveite cada centímetro das calçadas, saia a pé.

sábado, 8 de setembro de 2007

Chinatown - New York

Chinatown - New York. "Hey Man, How much is it? "



Não vou dizer que os chineses têm uma cultura que me fascina, pois na verdade, nem sei muito sobre aquele país. Mas posso dizer que eles estão crescendo cada vez mais e se espalhando pelo mundo. Calma, pessoal, não se trata de nenhuma doença, mas sim de que em todos os lugares dos Estados Unidos, ou pelo menos, nas maiores cidades, existe um bairro só de Chineses.

Aqui parei apenas para tirar uma foto. Confesso que fiquei tentado a comprar, mas pensei na imigração e logo desisti. O melhor desse dia foi que, pela primeira vez na minha vida, vi neve. Além de ter experimentado comida chinesa, em um ambiente chinês, e também de ter pechinchado ao longo de toda a Chinatown.  


A área situada entre a Canal St. Bowery, Park Row, Pearl St. e Center St (nove quarteirões, aproximadamente) muda completamente todo o cenário nova-iorquino...Muitas lojas com produtos típicos,onde vendem de chá à louças chinesas ( a preços convidativos), cabines telefônicas em forma de pagode, lojinhas de peças de marfim e jade e milhares de restaurantes com pratos típicos de Cantão e Xangai, dão um charme a este bairro tão diferente! O Chinese New Year ( ano novo Chinês) é uma festa móvel, caindo em Janeiro ou Fevereiro super colorida com dragões e milhares de fogos de artifício. (TEXTO DA INTERNET)

No Chinatown o Fuinha (companheiro da viagem) comprou um conjunto de barbeadores que nunca serviram para nada. Eu usava os mesmos, sem ele saber é claro, para depilar os cabelos do meu peito. Agora ele sabe que para alguma coisa eles tiveram utilidade.

Litlle Italy

segurando uma bandeira italiana na Litlle Italy, bairro italiano em New York.



Litlle Italy É um bairro do Lower East Side, mas hoje é apenas um centro turístico. A maioria dos prédios foi renovada, os restaurantes estão tomando lugar das trattorias e são agradáveis, sempre servidos com a simpatia italiana. Durante o mês de Setembro uma dica é ir à Festa de San Gennaro na Mulberry e Grand St. para saborear as boas pastas, com um belo vinho italiano em meio a jogos e brincadeiras de rua. Destaque para a Paolo´s há mais de um século faz a melhor muzzarella da cidade!

Foi o local onde o Fuinha, cara que aparece nas fotos do World Trade Center e na dos destroços do mesmo, quebrou um protetor de ouvidos e teve que comprar dois para poder pagar a dívida com a vendedora que ficou verde de raiva com ele.

I Love New York

I Love New York - Arquivo pessoal. 2007.





I love NY, what about you? Todos amam New York. Não é à toa que o souvenir predileto de dez em cada dez turistas é a camiseta I Love NY. Aliás, depois dos atentados terroristas que a cidade sofreu, a tradicional camiseta ganhou uma versão ainda mais enfática: I love NY more than ever.

Paralelo a isso, em uma visita a Chinatown, “a 25 de Março norte-americana”, você também pode comprar um rolo de papel higiênico com o rosto de Osama Bin Laden nas lojas.





Destroços da decoração do World Trade Center - New York City

Destroços do World Trade Center. 2007.



Na volta da Estatua da Liberdade me deparei com algo que me parecia muito familiar, algo que eu tinha a certeza de que vi em algum lugar, mas não sabia onde, talvez na TV ou em algum documentário ou algo do tipo.
Bem, ai está a foto para ficar registrada aqui no Blog.


O 11 de Setembro de 2001


Os ataques liderados pelo terrorista Mohamed Atta causaram pânico em todo o planeta. Quando a Torre Norte foi atingida pelo avião 767 da American Airlines às 8h45 da manhã, as pessoas da Torre Sul receberam os avisos de emergência para descer, quando chegaram no lobby, estranhamente foram barrados pelos policiais do WTC que afirmavam que o predio estava seguro e que todos podiam voltar para seu serviço. A maioria voltou para seus escritorios esperando um novo chamado. Muitos deles ligaram para seus familiares afirmando que iriam continuar na Torre Sul e que ela estava segura, no entanto, as 9h03 da manhã o avião 757 da United Airlines chocou com a Torre Sul atingindo do 78º andar ao 83º andar. Às 9h10 o serviço de segurança de Nova Iorque ordenou a evacuação total do predio. Muitas pessoas na Torre Sul morreram pois acreditavam que seriam resgatados nos seus próprios escritórios sem ter que enfrentar o pânico de 1993. Todas as pessoas que ficaram nos andares acima da zona do impacto da Torre Norte morreram e na Torre Sul sobreviveram apenas dezoito pessoas, pois acharam uma escada intacta que levava até o lobby do prédio.


No dia 12 de setembro, data do meu aniversário, o WTC7 é implodido pela Administração do Porto por estar em risco de desabamento devido aos estragos causados na sua base pela queda das Torres Gêmeas. Alguns dias depois os outros quatro prédios do complexo: WTC3 (Hotel Marriott), WTC4, WTC5 e WTC6 foram demolidos pelo risco iminente de desabamento.

World Trade Center

Em frente ao Local onde eram as Torres do World Trade Center.




Estátua da Liberdade

Estátua da Liberdade - NYC.




Depois de um dia com muita burocracia consegui chegar a tão famosa Estado da Liberdade (Statue of Liberty).

Tivemos que passar por detectores de metais, tirar o casaco, mostrar tudo que tinha dentro da mochila e pagar 11 dolares americanos para poder pegar o barco para a ilha da liberdade, onde está a Estatua.

“A Liberdade Iluminando o Mundo, mais conhecida como Estátua da Liberdade, está na entrada do porto de Nova York desde 28 de outubro de 1886. Foi um presente dos franceses para os americanos quando estes venceram uma batalha contra a Inglaterra. Projetada e construída pelo escultor alsaciano Frédéric Auguste Bartholdi (1834-1904), que usou sua mãe como modelo. Para a construção da estrutura metálica interna da estátua, Bartholdi contou com a assistência do engenheiro francês Gustave Eiffel (mesmo projetista da Torre Eiffel).

A estátua mede 46,50 metros (92,99 m contando o pedestal). Apenas seu nariz mede 1,37 metro. Pesa 158 t repartidas no esqueleto de aço (127 t) e na estátua de cobre (31 t) e veio da França desmontada em 214 pacotes, é a escultura mais pesada do mundo com 225 toneladas segundo o Livro Guinness dos Recordes e, ficou entre os semi-finalistas do concurso das sete maravilhas do mundo moderno, que escolheu o Cristo Redentor como uma das maravilghas.

São 167 degraus de entrada até o topo do pedestal. Depois são mais 168 degraus até a cabeça. Por fim, outros 54 degraus levam à tocha.

Frase escrita no pedestal antigamente: Venham a mim as massas exaustas, pobres e confusas ansiando por respirar liberdade. Venham a mim os desabrigados, os que estão sob a tempestade. Eu os guio com minha tocha.

Foi um presente dado por Napoleão III, como prémio aos Estados Unidos após uma batalha vencida contra a Inglaterra.

O historiador francês Edouard de Laboulaye foi quem primeiro propôs a idéia do presente, e o povo francês arrecadou os fundos para que, em 1875, a equipe do escultor Frederic-Auguste Bartholdi começasse a trabalhar na estátua colossal.

O projeto sofreu várias demoras porque naquela época não era politicamente conveniente que, na França imperial, se comemorassem as virtudes da ascendente república norte-americana. Não obstante, com a queda do Imperador Napoleão III, em 1871, revitalizou-se a idéia de um presente aos Estados Unidos. Em julho daquele ano, Bartholdi fez uma viagem aos Estados Unidos e encontrou o que ele julgava ser o local ideal para a futura estátua - uma ilhota na baía de Nova York, chamada Ilha da Liberdade (conhecida como Liberty Island desde 1956).”

Cheio de entusiasmo, Bartholdi levou avante seus planos para uma imponente estátua. Tornou-se patente que ele incorporara símbolos da Maçonaria em seu projeto - a tocha, o livro em sua mão esquerda, e o diadema de sete espigões em torno da cabeça, como também a tão evidente inspiração ligada à deusa Sophia, que compõem o monumento como um todo. Isto, talvez, não era uma grande surpresa, visto ele ser maçom. Segundo os iluministas, por meio desta foi dado "sabedoria" nos ideais da Revolução Francesa. O presente monumental foi, portanto, uma lembrança do apoio intelectual dado pelos americanos aos franceses em sua revolução, em 1789.

Rockefeller Center

Em frente a praça de patinação do Rockefeller Center- NYC.




 Em frente ao Rockefeller Center na cidade de New York. Nesse dia, estava muito cansado e com frio, não lembro exatamente quantos graus estavam fazendo, mas a sensação de frio era enorme.

Lembro que naquela noite, enquanto estávamos chegando ao local destino ao público, uma espécie de arquibancada gigante de concreto, havia muita gente patinando. De repente, todos saíram e um cara entrou e pediu a namorada em casamento. Coisas de americanos, digo, coisas cinematográficas. Obviamente, ela disse sim e a multidão aplaudiu.

O Rockefeller Center é um complexo de 19 edifícios comerciais, localizado na cidade de Nova York. Uma parte do complexo, incluindo o GE Building, o edifício mais alto do complexo, foi construída nas décadas de 1930 e 1940, sendo que na década de 1960, foram construídos outros modernos edifícios, que também fazem parte do Rockefeller Center.

O Rockefeller Center é atualmente uma das principais atrações turísticas de Nova Iorque, especialmente no inverno, quando a praça principal do complexo está decorada com uma grande árvore de natal, bem como possui uma grande pista de patinação.

O Rockefeller Center também abriga o Radio City Music Hall e a sede da NBC, em cujo estúdio 8H é gravado o célebre Saturday Night Live.

Quando eu estava em frente ao Rockefeller Center muitas pessoas se divertiam de patinavam, quando de repente todos saíram e aconteceu uma cena que parecia de cinema. Uma mulher entrou vestida de noiva e de patins e um carinha, também de patins e com flores na mão, que a pediu em casamento, todos aplaudiram, só não conto mais detalhes porque não vi o que aconteceu quando eles saíram de lá.


Texto retirado do Wikipédia. 

  





Edifícil Dakota >> O grande momento <<

Em frente ao Dakota, local onde John Lennon morou e foi assassinado.


Na noite de 8 de dezembro de 1980, quando voltava para o apartamento onde morava em Nova York , no edifício Dakota, em frente ao Central Park, John Lennon foi abordado por um rapaz que durante o dia havia lhe pedido um autógrafo em um LP Double Fantasy em frente ao Dakota. O rapaz era Mark David Chapman, um fã dos Beatles e de John, que acabou atirando em John Lennon com revólver calibre 38. A polícia chegou minutos depois e levou John na própria viatura para o hospital. O assassino permaneceu no local com um livro nas mãos, "O Apanhador no Campo de Centeio" de J.D. Salinger. John morreu após perder muito sangue, aos quarenta anos de idade. Logo após a notícia da morte de John Lennon, que correu o mundo, uma multidão se juntou em frente ao Dakota, com velas e cantando canções de John e dos Beatles.

O assassino foi preso, pois permaneceu no local, esperando os policiais chegarem. Ao entrar na viatura, pediu desculpas aos policiais pelo "transtorno que havia causado". Em seu julgamento alegou ter lido em "O apanhador no Campo de Centeio" uma mensagem que dizia para matar John Lennon. Acabou sendo condenado à prisão perpétua e até hoje é mantido numa cela separada de outros presos, devido às ameaças de morte que recebeu.

Após a morte de John, foi criado um memorial chamado Strawberry Fields Forever no Central Park, em frente ao Dakota. Alguns discos póstumos foram lançados, como Milk and Honey, com sobras de canções do disco Double Fantasy. Várias coletâneas e um disco chamado Accoustic foram lançados em 2005. Yoko Ono administra tudo o que se refere a John Lennon, suas canções em carreira solo, seus vídeos e filmes.